Carreira e felicidade: a difícil escolha da profissão - Diário de Santa Maria

Versão mobile

Coluna Finanças Pessoais01/06/2017 | 15h01Atualizada em 01/06/2017 | 15h01

Carreira e felicidade: a difícil escolha da profissão

Colunista fala sobre a importância de ponderar elementos na hora de decidir 

 

Quem não lembra de ter ouvido, na infância, a pergunta: "O que você quer ser quando crescer?" Esse questionamento, aparentemente simples e inofensivo, ganha importância e peso ainda maior no final do Ensino Médio, período em que se conclui uma etapa da vida e o adolescente volta-se para a escolha de uma profissão.

Se a trajetória não for bem conduzida, pode se tornar um drama ou uma fonte de sofrimento. É um processo complexo, muitas vezes difícil e, ao mesmo tempo afetado por diferentes fatores que vão interferir na escolha de vida. 

Leia todas as colunas da temática Finanças Pessoais

Mas, que fatores estão relacionados a essa escolha?
Que elementos interferem no processo?
Como podemos ajudar os jovens nessa decisão? 

Optar por uma profissão significa abrir mão de tantas outras possibilidades. Requer um processo de autoconhecimento, identificação de habilidades, desejos e expectativas sobre uma determinada atividade profissional e sobre si mesmo. Exige um olhar para dentro de si e o reconhecimento de suas potencialidades e bem como limitações. Além disso, exige uma visão atenta para a realidade, oportunidades e mudanças sociais.

Foto: pixabay / pixabay

Muitos jovens escolhem uma trajetória profissional ainda muito cedo, baseados numa visão, muitas vezes irrealista sobre a profissão, por influências de membros da família, amigos, mídia e, até mesmo, por conveniência. Alguns estudos demonstram que é comum a escolha de uma carreira em que o valor salarial determina a escolha. Além disso, o reconhecimento ou status que a mesma possibilita ou até mesmo uma visão idealizada a respeito dela.

Ao acompanhar o processo de desenvolvimento profissional de jovens que buscam em um curso superior, observa-se que muitos abandonam suas cidades, famílias e rotinas em busca deste sonho. No entanto, um sentimento bastante presente neste momento além da esperança, entusiasmo e felicidade por se inserir num curso superior, é o temor dos jovens e suas famílias de que sua escolha não seja a mais acertada. 

Considerando o significado e a importância do trabalho, bem como as mudanças sociais existentes em que o perfil do trabalhador, as formas de inserção profissional se transformaram na sociedade contemporânea é fundamental que a família, a escola e os diferentes atores sociais colaborem neste percurso. 

Neste sentido, o processo de orientação profissional pode ser um grande aliado e colaborar para uma decisão mais acertada. Juntamente com a família e a escola, o orientador profissional pode auxiliar o jovem a organizar, selecionar, hierarquizar as informações recebidas sobre as profissões e sobre si para a tomada de decisão que lhe traga mais do que uma ocupação ou uma forma de sustento, mas sobretudo, uma profissão que viabilize realização, sucesso e felicidade.

 
 

Siga Diário SM no Twitter

  • diariosm

    diariosm

    DiárioSMOs Tribalistas vão muito além de 'Já sei namorar', por @luciopm https://t.co/NiNPnHaQqZ https://t.co/1EToCEiXuThá 19 horas Retweet
  • diariosm

    diariosm

    DiárioSMOPINIÃO: Jeitinho brasileiro https://t.co/HTjS505MOm https://t.co/BovGwPdTtghá 20 horas Retweet
Diário de Santa Maria
Busca
clicRBS
Nova busca - outros