Só danço samba! Mas, onde? - Diário de Santa Maria

Versão mobile

Opinião17/03/2017 | 13h33Atualizada em 17/03/2017 | 14h07

Só danço samba! Mas, onde?

Colunista de Cultura, Deborah Rosa fala da carência em locais para abrigar shows dançantes

Cada vez que me proponho a criar algo, um espetáculo novo, um novo momento musical, me reúno com minha equipe _  já que prezo por sempre lançar um produto novo em minha cidade _  e nos deparamos com a dúvida: onde poderíamos fazer?

Realmente sinto falta de espaços alternativos para nossos projetos... Espaços específicos para shows, que comportem plateia (sentados em mesas arrumadas, em pé, pendurados, no chão) dependendo do projeto criado, do conceito concebido. Para que possa transformá-lo em arena, na sala de casa, em quintal, ou em qualquer outra coisa... Uma casa de espetáculo que vá além do conceito de teatro tradicional ou de bar animado

E se eu fizer um show de samba somente dançante? Onde ele será? Sinto essa carência e muito do meu público também. Público esse que já passou da idade de modismos e "universitários" dançantes. Há muito tempo, somente há uma preocupação  com o "novo", com a "moda".

Mas, caro leitor, existe  algo mais charmoso que a famosa "Estudantina" no Rio? E, seu palco sagrado "Maria Bethânia"? Casa uma digna das mais variadas manifestações artísticas e frequentada por todos os tipos de públicos?

Estudantina, no Rio Foto: reprodução / reprodução

E pensar que já tivemos algo assim aqui em Santa Maria...um espaço de música, dança e alegria...

Lá pelos meados dos anos 1960, além dos tradicionais Clubes União Familiar e Treze de Maio, o famoso da "Elite", hoje, casa antiga na Vila Oliveira.




Era um distinto baile, de público predominantemente negro que dançava  ao som da boa e honesta MPB e sambas com seus músicos  devidamente "empertigados".

Uma casa democrática, aos moldes daquela época (pois contemplava todos os públicos independente dos preconceitos e modos de agir e pensar do período) que, por anos embalou gerações e marcou época em Santa Maria.

História e estórias que se perdem, parecendo que não tivemos um passado musical, um passado dançante!

Foto: Deborah Rosa

Como eu queria poder ter cantado numa casa assim!  Me sinto carente nesse sentido. Pois, há muito tempo, me é pedida uma MPB Dançante, um samba canção como a que não existe mais por aqui.

Onde vou cantar um bolero da Angela Maria, a "media luz" e embalar memórias de uma juventude já passada? Onde vou cantar Angela Maria para um jovem casal dançar à moda antiga e criar alí uma nova história?

Afinal, a MPB esta aí, sempre a recrutar novos admiradores prontos a se deleitar numa interpretação memorável, numa poesia tocante e, também num bailar tipo "da minha avó". Por que não?

Caixeiral: por que não fazer do lugar uma estudantina? Foto: Arquivo pessoal / Arquivo pessoal

Sinto uma saudade que não é minha. De músicos sorridentes e bem vestidos, de uma orquestra e não banda, de uma sonoridade livre e improvisos virtuosos. De um tempo em que a qualidade sonora era livre de gritos e de uma leveza invejável. A música pela música. De acabar a dança, corpo arrepiado e o cumprimento aos músicos pelo que fizeram a sua alma naquele momento...

Aqui nos restam os teatros e alguns bares ... Ou se senta e só escuta (sem se mexer, é claro). Ou se bebe e come e não se escuta. Ou nenhuma coisa nem outra.

Sou só eu quem sinto essa carência? Eu e as pessoas que me perguntam? Ou será que se perdeu o interesse mesmo. E só serve para dançar os "bate cochas"

 

 


 

Siga Diário SM no Twitter

  • diariosm

    diariosm

    DiárioSMCuidados na hora de aproveitar as promoções da Black Friday https://t.co/AnANTD9xIU https://t.co/KhNVUm62zvhá 4 horas Retweet
  • diariosm

    diariosm

    DiárioSMTerceira fase de saques do PIS/Pasep é antecipada https://t.co/7SU9H3c7aS https://t.co/wXvOqVecxQhá 5 horas Retweet
Diário de Santa Maria
Busca
clicRBS
Nova busca - outros