São Pedro do Sul só deve voltar a realizar partos em 2018 - Diário de Santa Maria

Versão mobile

Região08/11/2017 | 13h30Atualizada em 08/11/2017 | 13h30

São Pedro do Sul só deve voltar a realizar partos em 2018

Nascimentos e cirurgias no hospital municipal dependem de conclusão de obra de centro de materiais

Diário de Santa Maria
Diário de Santa Maria

O prefeito de São Pedro do Sul, Victor Doeler (PP), planeja para 2018 a abertura do Centro de Material Esterilizado (CME) do Hospital Municipal Dr. Getuinar D’Ávila do Nascimento. O espaço está em obras desde o começo do ano, mas as dificuldades financeiras do município devem adiar a conclusão dos serviços, cuja previsão era 2017.

– O plano era o final deste ano, mas deve ficar para 2018 – afirma Doeler.

 SÃO PEDRO DO SUL, RS, BRASIL, 27-08-2015.Hospitais suspendem serviços em função do atraso nos repasses. Hospital de São Pedro do Sul já cancelou serviços cardiológicos, vasculares, de otorrinolaringologia, ginecologia e obstetrícia.FOTO: GERMANO RORATO/AGÊNCIA RBS, GERAL
Centro de esterilização do hospital municipal, previsto para ficar pronto este ano, deve atrasar. Obra só deve terminar no ano que vemFoto: hospitais,repasses,atraso nos repasses,serviços,atendimentos,demissões,São Pedro do Sul,Hospital / Agencia RBS

O centro de esterilização permitirá que o hospital municipal possa voltar a realizar cirurgias, suspensas há cerca de três anos devido à falta do serviço. O investimento, orçado em R$ 290 mil, também permitirá o fim de um fato insólito que se arrasta ao longo desse período. Desde 2014, nenhuma criança nasce em São Pedro do Sul. Não em condições normais.

– Exceto o caso de um parto de emergência, feito pela Brigada Militar – conta o prefeito, referindo-se a ao caso de uma mãe em trabalho de parto que foi socorrida por policiais militares e não houve tempo de chegar ao hospital mais próximo, em Santa Maria.

 15 concursos com inscrições abertas no Estado

O que ocorre é que, sem cirurgias, o hospital local não pode também realizar partos. Por isso, todas as gestantes precisam ir para o Hospital Universitário de Santa Maria (Husm) ou para outros estabelecimentos de saúde de fora da cidade. Após o nascimento, os pais precisam ir no Cartório de São Pedro do Sul para fazer o registro do filho no município.

Para executar a obra, a prefeitura está usando o máximo possível de mão de obra dos próprios servidores, com o objetivo de baixar os custos. Doeler acredita que, com a retomada das cirurgias, o hospital possa reequilibrar suas contas e diminuir os prejuízos.

REAJUSTE DE VALORES
Este mês, a prefeitura de São Pedro do Sul precisou reajustar o valor pago pelos municípios conveniados que utilizam os serviços do pronto-atendimento do Hospital Dr. Getuinar D’Ávila do Nascimento. Segundo o prefeito, os repasses estavam defasados há pelo menos oito anos. 

 Mercados podem reduzir atendimento aos domingos em Rosário do Sul

Agora, as prefeituras de Jari, Toropi, Quevedos e Dilermando de Aguiar repassarão, no total, R$ 84 mil à instituição de saúde. O município de São Pedro desembolsará outros R$ 108 mil mensais para permitir o funcionamento do pronto-atendimento.

O prefeito Victor Doeler explica que foi feita uma nova planilha de custos, que somou R$ 191 mil. Esse montante foi dividido pela população de cada cidade para se chegar ao valor do repasse mensal de cada prefeitura da região.

 

Siga Diário SM no Twitter

  • diariosm

    diariosm

    DiárioSMRenato Mirailh: há mais de 30 anos nos palcos santa-marienses https://t.co/EJW8pNL2sF https://t.co/Gj4SKJPLNphá 1 diaRetweet
  • diariosm

    diariosm

    DiárioSMAssaltantes amarram casal de agricultores e fogem levando dinheiro e um carro https://t.co/bp0ydKBG8p https://t.co/A7KW3xj4gOhá 1 diaRetweet

Veja também

Diário de Santa Maria
Busca
clicRBS
Nova busca - outros