Estudantes residentes da UFSM paralisaram as atividades hoje - Diário de Santa Maria

Versão mobile

Paralisação12/09/2017 | 18h33Atualizada em 12/09/2017 | 18h35

Estudantes residentes da UFSM paralisaram as atividades hoje

A manifestação ocorreu de manhã e não afetou os serviços de saúde


 Santa Maria, RS, Brasil, 12/09/2017.Fachada do Husm, Hospital Universitário.
Foto: Charles Guerra / New Co

Acadêmicos que fazem parte do Programa de Residência Multiprofissional Integrada em Saúde da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) protestaram contra as condições de trabalho e da carga horária abusiva. Os cerca de 80 estudantes dos cursos de Enfermagem, Fisioterapia, Terapia Ocupacional, Fonoaudiologia, Nutrição, Psicologia, Serviço Social, Farmácia e Odontologia fizeram, na manhã de hoje, uma manifestação na frente do Hospital Universitário de Santa Maria (Husm).

Entre as reivindicações, está a escala de trabalho, que, segundo os residentes, em vez de eles estarem atuando de forma complementar, estão substituindo profissionais. Ainda segundo os estudantes, as 60 horas previstas no programa deveriam ser divididas entre atividades educacionais e práticas, mas isso não acontece. Os residentes atuam nas áreas de atenção básica, saúde mental, vigilância em saúde e na rede hospitalar do município e do Husm.

Unidades de saúde da Região Leste viram pontos de descarte de medicamentos

Por meio de uma nota, a assessoria de comunicação do hospital informou que houve paralisação de 46 residentes multiprofissionais com atuação no Husm, porém, a instituição não havia sido informada oficialmente sobre os motivos que levaram à mobilização. A nota traz ainda que a Gerência de Ensino e Pesquisa está aberta a ouvir o que pontuam os residentes, mas entende que a primeira instância de reivindicações deve ser resolvida com a Coordenação do Programa de Residência Multiprofissional Integrada em Saúde (Coremu), no Centro de Ciências da Saúde, responsável pelo Programa de Residência. A paralisação não afetou os serviços do hospital.

Conforme a Secretaria de Saúde do município, cerca de cinco funcionários são comuns ao quadro do Executivo e ao Husm. Ainda de acordo com a pasta, nenhum serviço de saúde prestado pela prefeitura foi afetado em função da manifestação. 

A equipe do Diário também entrou em contato com a coordenação dos residentes, mas não obteve retorno.

Projeto de Pesquisa da UFSM recebe prêmio da ONU

O QUE ALEGAM OS ESTUDANTES  Carga horária de trabalho excessiva Más condições de trabalho Falta de profissionais  Substituição de profissionais  Assédio moral por parte de instituições de saúde em Santa Maria (não foram especificadas quais instituições)

 

Siga Diário SM no Twitter

  • diariosm

    diariosm

    DiárioSMMinistério Público de Contas sugere devolução de R$ 672 mil da obra da Câmara https://t.co/smytRLhrdb https://t.co/QzhTHJWf03há 17 horas Retweet
  • diariosm

    diariosm

    DiárioSMFamílias atingidas pela tempestade poderão sacar até R$ 6 mil do FGTS https://t.co/2gJcob8x7X https://t.co/rTSqTqg30ehá 18 horas Retweet

Veja também

Diário de Santa Maria
Busca
clicRBS
Nova busca - outros