Quatro dias de festa ao estilo cigano em São Sepé - Diário de Santa Maria

Versão mobile

Tradição04/03/2017 | 12h01Atualizada em 04/03/2017 | 12h01

Quatro dias de festa ao estilo cigano em São Sepé

Casamento reúne 800 convidados e oferece 3 mil litros de chope e 2 mil quilos de carne

Diário de Santa Maria
Diário de Santa Maria

Contando com as ¿prévias¿ são praticamente quatro dias completos de festa. Some a isto cerca de 3 mil litros de chope, 2 mil quilos de carne, decoração a rigor e música ao vivo. 

O que para muitos pode parecer um tanto estranho, é só mais uma festa de casamento cigano para este grupo de ¿apenas¿ 200 famílias. O evento que ocorre desde a última quinta-feira no Clube Iguaçu, em São Sepé, é marcado por peculiaridades e repleto de tradição.

Para reunir as 200 famílias convidadas, festa é realizada em um clube. Alguns convidados estão hospedados em barracas Foto: Leadro Ineu / O Sepeense

Foi quase por acidente que as famílias de Fabinho e Janara Aristides vieram parar em São Sepé. Era tempo de preparativos para a celebração e a expectativa era encontrar na região de Santa Maria (onde a noiva reside) um lugar que pudesse abrigar um evento que, não raramente, chega aos 800 convidados. 

Festa eletrônica de graça ocorre neste domingo na UFSM

Bastou uma visita ao clube para a decisão.E quem vê circulando pela cidade carros e caminhonetes considerados de luxo mal imagina o perfil dos convidados. De convívio alegre e despretensioso, os ciganos querem na verdade é manter uma tradição de séculos. Aqui tudo é respeitado segundo os antepassados. 

A mãe do noivo, Andrea, comenta que atualmente há menos exigências, mas a cultura segue sendo cumprida geração após geração. Dessa forma, bastou a troca de olhares do jovem casal para que as famílias marcassem uma reunião.

– Vai toda a família demonstrar o interesse do rapaz pela garota – conta o noivo, que só completa os 15 anos no final do mês.

Depois do encontro, é a família da menina (que precisa ter pelo menos 15 anos), que autoriza a união.

– Após tudo estar acertado, o casal precisa de um tempo para se conhecer melhor, conviver a dois etc. Só depois é que vem a festa para celebrar o casamento – diz a mãe do jovem.

Os jovens noivos, Fabinho, que completa 15 anos este mês, e Janara, 15, posam para o álbum de fotos do casamento Foto: Reprodução / Facebook

A festa é marcada por momentos diferentes. Na quinta-feira, a ocasião foi oferecida aos convidados e, só na sexta-feira, ocorreu, efetivamente, o casamento. 

– A gente está acostumada a este tipo de evento, até mesmo porque nos conhecemos durante um casamento no Uruguai –revela o rapaz.

21 opções para curtir o fim de semana em Santa Maria

A maioria dos convidados preferiu usar como abrigo barracas montadas no próprio clube, mas ainda há ¿estrangeiros¿ alojados em hotéis da cidade. Já a música ao vivo tem o tom daquele povo: são três bandas vindas do Uruguai. E para mobilizar toda essa gente, a tecnologia também faz seu serviço. As festas são organizadas por famílias inteiras que ficam responsáveis de comunicar amigos e parentes. Tudo, é claro, com uma ajudinha de aplicativos como o WhatsApp. 

Além da peculiaridade do evento, o casamento cigano ainda deixa marcas na cidade. Segundo uma das organizadoras, o propósito é que o máximo possível de produtos e serviços seja contratado no próprio local da festa a exemplo do som, da empresa Scorpions Sonorizações, e da produção de foto e vídeo, da Mais Brasil Produtora. A festa deve durar até a madrugada deste domingo. 

* Bruno Garcia e Leandro Ineu/Jornal O Sepeense


 
 

Siga Diário SM no Twitter

  • diariosm

    diariosm

    DiárioSM6 filmes para assistir e se emocionar com Meryl Streep na Netflix https://t.co/oQa1LLmpCa https://t.co/Yx6wnj0U5dhá 5 horas Retweet
  • diariosm

    diariosm

    DiárioSMCachorrinha soterrada em canteiro de obras é resgatada e tem um final feliz https://t.co/gnN6fxPUgR https://t.co/UeVbl0bMkkhá 6 horas Retweet

Veja também

Diário de Santa Maria
Busca
clicRBS
Nova busca - outros