Para Odilon Mainardi, saúde e sorrisos são os principais presentes de Natal - Diário de Santa Maria

Versão mobile

Diário nos Bairros/ Especial de Natal22/12/2016 | 10h30Atualizada em 22/12/2016 | 12h18

Para Odilon Mainardi, saúde e sorrisos são os principais presentes de Natal

Dentista encontrou na profissão um elo entre solidariedade e retribuição social

Para Odilon Mainardi, saúde e sorrisos são os principais presentes de Natal Germano Rorato/Agencia RBS
Foto: Germano Rorato / Agencia RBS
Pâmela Rubin Matge
Pâmela Rubin Matge

pamela.matge@diariosm.com.br

Ele não se denomina um Papai Noel, mas um Vovô Noel. Casado, pai de três filhos e avô de cinco netos, Odilon Mainardi, 74 anos, já é um veterano em matéria de voluntariado. 

Colecionadora de Santa Maria faz releitura de presépios

Ao longo do ano, ações sociais que envolvem áreas como esporte, saúde e educação fazem parte da sua rotina, que se intensifica às vésperas das festas natalinas. Uma de suas iniciativas, o projeto Papai Noel Ajuda Você a Sorrir, que distribui kits de higiene bucal a crianças e entidades de Santa Maria, completou 15 anos em 2016.

– Eu queria retribuir, de alguma forma, os anos que usufruí de um serviço público, estudando e sendo professor da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) – diz. 

Desde 1998, a solidariedade faz morada na garagem do seu Aldori

Aposentado há 20 anos, Mainardi enxergou na profissão um meio de transmissão de valores, solidariedade, além de trabalhar na prevenção e incentivar os cuidados para higiene bucal.Seus projetos também contam com o voluntariado de alunos, palestras por várias cidades e, na prática, a redução de doenças bucais. 

– Contribuo com outras confraternizações nas quais levo salgadinhos, cachorro-quentes. Mas a distribuição de kits de higiene bucal substituem as guloseimas e promovem saúde. Há crianças que não têm dinheiro nem para comprar uma pasta de dente e, quando recebem o kit, nos devolvem sorrisos e muito carinho. É o mínimo que posso fazer – comenta Mainardi.

Foto: Germano Rorato / Agencia RBS

Curiosamente, as lembranças dos natais da infância do dentista, em sua Sobradinho Natal, são bem diferentes das que integram o imaginário das crianças que ele presenteia.

Um apartamento de Santa Maria que vira filial da fábrica do Papai Noel

– Minha infância passou muito rápido. Saí de casa cedo e fui para dois internatos. Não fazíamos ceia nem recebíamos presentes. Não havia nem energia elétrica. O que tínhamos era o presépio e costumávamos rezar. No dia 25, fazíamos um almoço. A figura do Papai Noel, então, nunca foi presente – comenta Mainardi sobre a família de 15 irmãos.

O dentista chegou a Santa Maria na década de 1950, quando ingressou na 1º turma de Odontologia da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), em 1961. Ele diz que a mudança de cidade e, mais tarde, o casamento, ressignificaram o sentido do Natal. Atualmente, ele faz questão de oferecer a ceia para vários familiares em sua própria casa. Mainardi fica com os olhos marejados ao relatar o zelo que tem em celebrar a data:

– Tem o tradicional amigo secreto familiar, a decoração que minha esposa gosta muito e o principal: o carinho e os abraços que compartilhamos na noite de Natal.

Foto: Germano Rorato / Agencia RBS




 
 

Siga Diário SM no Twitter

  • diariosm

    diariosm

    DiárioSMPara festejar o Dia dos Avós, poste uma foto com eles nas redes sociais https://t.co/2xY2pOq7le https://t.co/EFO4dedLychá 14 horas Retweet
  • diariosm

    diariosm

    DiárioSMQuais as melhorias que 11 escolas de Santa Maria farão com dinheiro que receberam do governo https://t.co/Q3mmk8VM1W https://t.co/kHuLK2x6s0há 15 horas Retweet

Veja também

Diário de Santa Maria
Busca
clicRBS
Nova busca - outros