"Era um filho nota 10", diz pai de soldado que morreu em rio de Santa Maria - Diário de Santa Maria

Versão mobile

Batalhão Rodoviário em luto29/12/2016 | 16h36Atualizada em 29/12/2016 | 16h36

"Era um filho nota 10", diz pai de soldado que morreu em rio de Santa Maria

Diego Vargas Braida, 29 anos, foi sepultado na manhã desta quinta-feira

"Era um filho nota 10", diz pai de soldado que morreu em rio de Santa Maria CRBM/Divulgação
Foto: CRBM / Divulgação

"É com extremo pesar que o Comando Rodoviário da Brigada Militar recebe a notícia do falecimento trágico do policial militar Diego Vargas Braida, ocorrido em Santa Maria".

Assim começa a nota divulgada pelo Comando Rodoviário da Brigada Militar (CRBM) sobre o trabalho desempenhado pelo policial rodoviário que morreu em um acidente no Rio Vacacaí-Mirim, em Santa Maria, na quarta-feira.

Corpo de soldado que desapareceu em rio de Santa Maria é localizado

– O servidor sempre contribuiu com dedicação, profissionalismo, honestidade e comprometimento para a preservação da segurança e da vida do próximo – diz o comandante do CRBM, Francisco de Paula Vargas Júnior.

Aos 26 anos, Braida concluiu em Passo Fundo o curso de formação para poder atuar como policial rodoviário estadual.

– O sonho dele era ser policial rodoviário. Há alguns familiares que são policiais e inspiraram ele – conta o pai, Vitor Braida.

Vereadores de Santa Maria elegem as ações que deixaram para a cidade 

O primeiro local de trabalho foi o município de Bento Gonçalves. Depois, foi transferido para Santa Maria, de onde é natural.

– Vai fazer muita falta. Só tenho coisas boas para falar dele: foi um guri que nunca deu problema. Era amoroso, um filho nota 10. Ainda não caiu a ficha – lamenta o pai.

Braida estava pescando junto do sogro, que é sargento dos bombeiros, e um amigo quando o barco onde estavam virou. O sogro conseguiu nadar até a margem do rio. O amigo também conseguiu se salvar. Braida desapareceu na água e foi arrastado pela correnteza.

Família encontra bebê recém-nascido no pátio de casa em Santa Maria

Ele era casado com Josiane Antunes Braida, 25. Deixa também a mãe, Tereza Vargas, e a irmã, Jennifer Braida.

Braida foi sepultado às 11h no cemitério da localidade de Água Negra, em São Martinho da Serra, de onde é natural a maior parte da sua família.

 
 

Siga Diário SM no Twitter

  • diariosm

    diariosm

    DiárioSM#publipost https://t.co/LQSsGE5HEjhá 23 minutosRetweet
  • diariosm

    diariosm

    DiárioSMGREVE GERAL: Rua dos Andradas, esquina com a Avenida Rio Branco, é bloqueada pelos grevistas.há 6 horas Retweet

Veja também

Diário de Santa Maria
Busca
clicRBS
Nova busca - outros