Pai mata filho após discussão sobre ocupações de escolas em Goiânia - Diário de Santa Maria

Tragédia familiar16/11/2016 | 13h19Atualizada em 16/11/2016 | 15h36

Pai mata filho após discussão sobre ocupações de escolas em Goiânia

Após atirar contra o jovem, o engenheiro civil Alexandre José da Silva Neto, de 60 anos, se debruçou sobre ele e cometeu suicídio

Pai mata filho após discussão sobre ocupações de escolas em Goiânia Reprodução / Facebook/Facebook
Jovem de 20 anos estudava Matemática na Universidade Federal de Goiás e apoiava movimentos sociais Foto: Reprodução / Facebook / Facebook
Ana Karina Giacomelli
Ana Karina Giacomelli

ana.karina@diariogaucho.com.br

O estudante Guilherme Silva Neto, de 20 anos, foi morto pelo próprio pai na tarde desta terça-feira, dia 15, na cidade de Goiânia, em Goiás. Após atirar contra o filho, o engenheiro civil Alexandre José da Silva Neto, de 60 anos, se debruçou sobre o jovem e cometeu suicídio.

Segundo informações da Polícia Civil, os dois tiveram uma briga naquela manhã por causa do envolvimento de Guilherme com ocupações de escolas e universidades. Alexandre não aceitava o fato do filho participar de movimentos sociais e o seu modo de ser considerado "alternativo e revolucionário".

Leia mais
Quem são os líderes das ocupações em escolas e universidades do RS
Manual traz orientações sobre forma de agir nas ocupações de escolas
Ocupações mostram nova face do movimento estudantil

A discussão teria sido motivada pela reintegração de posse em uma unidade ocupada por estudantes. Guilherme queria ir, mas o pai não permitiu. Alexandre saiu de casa e o filho saiu logo em seguida. Quando o engenheiro retornou e não viu o jovem, foi à sua procura e cometeu o assassinato.

Testemunhas disseram à polícia que o pai teria surpreendido o filho próximo à Praça do Avião e disparado os primeiros tiros. Mesmo ferido, o jovem conseguiu fugir, mas o pai entrou no carro e o perseguiu até alcançá-lo. Alexandre disparou outras vezes contra o filho, se debruçou sobre ele e atirou contra si. Guilherme morreu no local. O pai foi socorrido e levado ao Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo), mas acabou morrendo.

Foto: Reprodução / TV Globo

De acordo com o coordenador de comunicação da Polícia Civil de Goiás, Gylson Mariano Ferreira, a perícia confirmou que o jovem levou quatro tiros e o pai, um tiro na cabeça. Foi apreendida uma pistola 6.35 usada no crime e dois carregadores. Na mochila do estudante os policiais encontraram uma máscara, uma chave de roda e uma machadinha.

— Ainda vamos ouvir algumas testemunhas e a mãe do jovem (a delegada aposentada Rosália de Moura Rosa Silva) para esclarecer os fatos. Mas ela já contou que o pai vivia em conflito com o filho por não aceitar o seu modo de vida — relata.

Guilherme era estudante do curso de Matemática na Universidade Federal de Goiás e participava de vários movimentos sociais e estudantis. Em uma conta no Facebook, o jovem demonstrava interesse em questões políticas e sociais. O perfil já foi transformado em memorial.

Foto: Reprodução

O caso está sendo investigado pela Delegacia de Investigação de Homicídios (DIH) da cidade.

Leia outras notícias



 
 

Siga Diário SM no Twitter

  • diariosm

    diariosm

    DiárioSMComeça neste sábado a última edição do Pátio Rural https://t.co/b5bMVDdIk2 https://t.co/ehS8b5isUehá 3 minutosRetweet
  • diariosm

    diariosm

    DiárioSMComportamentos dos cachorros que devem ser controlados para evitar acidentes https://t.co/FrUtvYUDPH https://t.co/AuxNEwk50hhá 33 minutosRetweet

Veja também

Diário de Santa Maria
Busca
clicRBS
Nova busca - outros