Polícia Civil confirma seis denúncias por maus-tratos e abuso sexual à crianças em Santa Maria - Diário de Santa Maria

Operação Amparo13/10/2016 | 19h20Atualizada em 13/10/2016 | 19h24

Polícia Civil confirma seis denúncias por maus-tratos e abuso sexual à crianças em Santa Maria

Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente confirmou seis casos de maus-tratos e abuso sexual

Logo depois do Dia da Criança, em alusão justamente aos pequenos, a Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) de Santa Maria realizou, nesta quinta-feira, a Operação Amparo, que checou 40 denúncias anônimas referentes a maus-tratos e abuso sexual contra crianças e adolescentes na cidade. Do total de denúncias, foram confirmados os crimes de maus-tratos ou de abuso sexual em seis casos. Outros quatro ainda continuam em investigação.

Mãe é presa por suspeita da morte de bebê em Santa Maria

De acordo com a delegada titular da DPCA, Luiza Sousa, as vítimas dos seis casos confirmados já foram retiradas da situação de risco pelo Conselho Tutelar. Ainda segundo ela, a maioria das denúncias chegou pelo Disque 100, da Secretaria Especial de Direitos Humanos, do Ministério da Justiça e Cidadania.

Mãe de bebê que morreu em Santa Maria disse que não percebeu desnutrição

Conforme o delegado regional da Polícia Civil, Sandro Meinerz, o saldo da operação é positivo.

Ao atender ocorrência de maus-tratos a crianças, BM descobre ponto de tráfico em Santa Maria

– Em 25% dos casos, foi confirmada a necessidade de investigação. O objetivo maior foi alcançado. Queríamos fiscalizar, principalmente, a questão dos abusos. Essas crianças estão em uma situação de vulnerabilidade muito grande. Aproveitamos o Dia da Criança para mostrar que estamos trabalhando no sentido de dar uma resposta a esses casos e prevenir esses fatos – afirma Meinerz.

Polícia indicia por estupro e estelionato suspeito de abusar de mulher com deficiência mental

O delegado ressalta também a importância das denúncias, já que a maioria dos casos de abuso ou maus-tratos ocorre no ambiente familiar e é difícil a polícia ter conhecimento sem que alguém delate a situação. Meinerz reforça também a garantia do anonimato.

Homem que se passava por médico para abusar de grávidas no Husm vira réu

– Na maioria dos casos, os abusadores são pessoas do próprio ambiente familiar, pais, padrastos, irmãos, avós, pessoas que têm facilidade no acesso à criança. Por isso, precisamos dessas denúncias, e, em nenhuma delas, expomos o denunciante. Esse crime também é complicado porque normalmente não se tem prova testemunhal, já que a própria família tem receio de que alguém seja preso, já que tem uma consequência grave – destaca o delegado.

Homem é preso suspeito de estuprar duas crianças em Mata

Participaram da Operação Amparo 40 policiais de todas as delegacias de Santa Maria em 10 viaturas.

 
 

Siga Diário SM no Twitter

  • diariosm

    diariosm

    DiárioSMSuspeito de integrar movimento neonazista é preso em Cruz Alta https://t.co/HlPiwvvtk9 https://t.co/EtWLEXWtgEhá 11 horas Retweet
  • diariosm

    diariosm

    DiárioSMEstudantes começam a desocupar prédios da UFSM https://t.co/fHTMnU4nv0 https://t.co/uC8MlLQBGhhá 11 horas Retweet

Veja também

Diário de Santa Maria
Busca
clicRBS
Nova busca - outros