Juiz aposentado acusado de matar a mulher em Restinga Seca vai a júri popular - Diário de Santa Maria

Justiça20/09/2016 | 16h50Atualizada em 20/09/2016 | 17h28

Juiz aposentado acusado de matar a mulher em Restinga Seca vai a júri popular

Francisco Eclache Filhou confessou ter matado Madalena Dotto Nogara em julho de 2014

Juiz aposentado acusado de matar a mulher em Restinga Seca vai a júri popular reprodução/reprodução
Foto: reprodução / reprodução

Mais de dois anos depois da morte de Madalena Dotto Nogara, 55 anos, em 22 de julho de 2014, o juiz aposentado Francisco Eclache Filho, marido de Madalena e autor confesso do assassinato, foi sentenciado a ir a júri popular. A juíza de Restinga Seca, onde aconteceu o crime, Juliana Tronco Cardoso, já havia acatado a denúncia e pronunciou o réu, na último dia 13, por homicídio duplamente qualificado. As qualificadoras são por motivo fútil, por conta de ciúmes, e recurso que dificultou a defesa da vítima. A qualificadora de motivo torpe foi afastada. Cabe recurso da decisão, por isso ainda não dá data para o julgamento.

Juiz é acusado de matar a companheira que conheceu pela internet e com quem passou a viver em janeiro

Eclache, que é natural de Minas Gerais e atuava no Tribunal de Justiça daquele Estado, confessou ter matado Madalena com quatro tiros, na cabeça, nas costas e no peito, mas disse terem sido acidentais. Ele foi preso no dia seguinte, em Osório, após sair da pista com o carro que conduzia. A intenção dele era ir para Minas Gerais. O crime aconteceu 54 dias depois de os dois efetivarem a união estável. Eles haviam se conhecido um ano antes pela internet.

Corpo de mulher de juiz é exumado em Restinga Seca

Na denúncia, o promotor de Justiça de Restinga Seca, Sandro Loureiro Marones, afirma que Eclache tinha ciúmes doentio de Madalena, inclusive limitando o contato dela com outras pessoas. Por isso, o motivo fútil. O juiz aposentado está preso desde o dia 23 de julho de 2014. Ele teve a liberdade provisória e um habeas corpus negados.

Juiz suspeito de matar ex-secretária tinha ciúme doentio, revela inquérito

– Obtivemos a pronúncia por homicídio duplamente qualificado. Já esperávamos o afastamento do motivo torpe. Estamos com o sentimento de dever cumprido, mas ainda estamos na expectativa do júri para que a Justiça seja feita como se deve – afirma o promotor.

O Diário tentou contato com o advogado da família de Madalena, Bruno Seligman de Menezes, que atua como assistente de acusação, e com o advogado de Eclache, Roger Alves da Rocha, no entanto, nenhum deles atendeu às ligações.

From:cms -->
 

Comentar esta matéria Comentários (0)

Esta matéria ainda não possui comentários

Siga Diário SM no Twitter

  • diariosm

    diariosm

    DiárioSMAssaltante esfaqueia taxista e é preso em Santa Maria https://t.co/3fwdKZFDrJ https://t.co/AMauaJdQmAhá 4 horas Retweet
  • diariosm

    diariosm

    DiárioSMBom dia! Previsão indica que a nebulosidade logo se dissipa e não deve chover. Faz 7ºC. A máx. chega até 25ºC de ta… https://t.co/ZfVl2dXhvuhá 5 horas Retweet

Veja também

Diário de Santa Maria
Busca
clicRBS
Nova busca - outros