Husm usará impressão 3D para agilizar cirurgias - Diário de Santa Maria

Saúde17/09/2016 | 07h04Atualizada em 18/09/2016 | 20h09

Husm usará impressão 3D para agilizar cirurgias

Os procedimentos estão em fase de testes, mas os equipamentos devem chegar dentro de 15 dias

Husm usará impressão 3D para agilizar cirurgias Jean Pimentel/Agencia RBS
O estudante Giuliano (à esq.) e o médico Humberto Palma mostram modelo impresso que foi usado para a primeira cirurgia Foto: Jean Pimentel / Agencia RBS

O Hospital Universitário de Santa Maria (Husm) adquiriu duas impressoras 3D que devem facilitar e agilizar os procedimentos cirúrgicos. Pelo menos mil pacientes das áreas de cardiologia, traumatologia e odontologia serão beneficiados, a cada mês, quando o método for posto em prática. Ainda não há data para isso. Por enquanto, os procedimentos estão em fase de testes, mas os equipamentos devem chegar dentro de 15 dias.

O dentista e professor Gustavo Dotto, idealizador do projeto, explica que o processo consiste em três etapas. A primeira delas é fazer uma imagem da parte do corpo que precisa ser tratado, por meio de uma tomografia:

– Usamos um aparelho que usa pouca radiação para criar a imagem, como em um Raio X. Daí, vamos para o segundo processo, que é o tratamento.

Homem tem braço triturado em acidente em Santa Maria

A imagem é usada na impressão 3D da parte do corpo do paciente que vai ser operada. Com ela, os médicos podem estudar melhor a forma de tratamento e agilizar o processo tanto para os profissionais do hospital como para o doente.– Um paciente que levaria seis meses para se recuperar de uma cirurgia levará, no máximo, quatro. É uma tecnologia barata, que dá resultado e que é boa para o paciente – explica o responsável pela traumatologia do Husm, Humberto Palma.

Um dos pacientes que passou pelo processo foi Gustavo Rosa de Moraes, 18 anos. Ele sofreu um acidente no fim de agosto e quebrou uma das pernas. Um modelo do osso partido foi impresso em 3D. Com ele, os médicos puderam tratá-lo com maior precisão. O processo convencional, com imobilização e cirurgia, levaria até três dias. Com a impressora, ofertada por uma empresa no Tecnoparque de Santa Maria, tudo foi feito em 35 horas.

Técnicos da UFSM estimam que alguns cães morreram há 10 meses

Na manhã de sexta-feira, Zanilda Alves, 57 anos, passou pela primeira etapa do processo para uma cirurgia odontológica. Na tomografia, a imagem foi criada em cinco minutos. Ela seria tratada e encaminhada para uma impressora 3D. Com o modelo pronto, os médicos poderão estudar qual o melhor método cirúrgico para, depois, executá-la.

– Vai ser o primeiro hospital da região com esse tipo de tecnologia. Vai levar algum tempo ainda para que ela seja disponibilizada para todos, mas ela é promissora – relata Dotto.

Os equipamentos foram adquiridos por R$ 22 mil. O custo operacional varia de acordo o tipo de peça impressa. No caso do osso da perna de Moraes, foram apenas R$ 38.

 

Comentar esta matéria Comentários (0)

Esta matéria ainda não possui comentários

Siga Diário SM no Twitter

  • diariosm

    diariosm

    DiárioSMCâmara cria comissão para investigar denúncia contra Farret https://t.co/KFZOAHtsEH https://t.co/jFt6tu3GSjhá 17 horas Retweet
  • diariosm

    diariosm

    DiárioSMAssaltante esfaqueia taxista e é preso em Santa Maria https://t.co/3fwdKZFDrJ https://t.co/AMauaJdQmAhá 23 horas Retweet

Veja também

Diário de Santa Maria
Busca
clicRBS
Nova busca - outros