Hospital de Júlio de Castilhos já recebe pacientes transferidos do Husm - Diário de Santa Maria

Saúde30/09/2016 | 18h17Atualizada em 30/09/2016 | 18h17

Hospital de Júlio de Castilhos já recebe pacientes transferidos do Husm

Instituição oferta 10 leitos de retaguarda na tentativa de desafogar a superlotação do Pronto-Socorro (PS)

Hospital de Júlio de Castilhos já recebe pacientes transferidos do Husm Jean Pimentel/Agencia RBS
Foto: Jean Pimentel / Agencia RBS

O Hospital Bernardina Salles de Barros, de Júlio de Castilhos, já está cadastrado junto ao Estado para ofertar leitos de retaguarda para o Hospital Universitário de Santa Maria (Husm) e recebendo pacientes.

Hospital da região deixa de receber pacientes transferidos do Husm

Agora o Husm tem à disposição 40 leitos de retaguarda em hospitais de cidades da região (São Vicente do Sul, São Pedro do Sul e Faxinal do Soturno, além de Júlio de Castilhos). O hospital de Restinga Seca deixou de receber pacientes depois de um desacerto com o Governo do Estado devido à regulamentação. Na época, o administrador do hospital, Cássio Sônego, explicou qual era o impasse.

– Da forma como está a nota técnica que regulamenta as transferências e o pagamento, o São Francisco não recebe, já que não podemos ser pagos direto pelo Estado. Sem o recurso não há oferta as vagas – disse Sônego.

Husm enfrenta falta de transporte para transferir pacientes a hospitais da região

Conforme Salvador Penteado, chefe da Divisão de Gestão de Cuidado do Husm, as vagas extras ajudam, mas não resolvem o problema do Pronto-Socorro (PS), que está superlotado. São 24 leitos de urgência e emergência e 19 macas de observação. Hoje, há 55 – 13 a mais que o limite. Sendo que sete estão entubados, deveriam estar na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI), mas, devido à falta de leitos, recebem atendimento nos corredores.

– A situação na UTI pediátrica é a mais tranquila. A pior é na dos adultos. Nós precisamos de mais leitos e melhorias na atenção básica – disse, quando questionado sobre se a ampliação do PS.

Para reduzir superlotação, Husm passa a enviar pacientes a outras cidades da região

A alta demanda pelo Husm tem feito com que a instituição atue até 150% acima da sua capacidade. Isso porque há possibilidade de risco para pacientes e funcionários. Com o grande número de pessoas internadas, há maior circulação de bactérias, o que propicia a proliferação de doenças. Para amenizar os problemas, o PS implantou um sistema de triagem remota dos pacientes, que só são recebidos depois de uma avaliação prévia do caso, feita pela equipe do Husm junto com a unidade de origem.

 
 

Siga Diário SM no Twitter

  • diariosm

    diariosm

    DiárioSMRT @pedrohpavan: Soldiers vence Snakes, conquista o título da Copa RS e garante a hegemonia gaúcha em 2016: https://t.co/T6YlRR6Y4s @smsold…há 6 horas Retweet
  • diariosm

    diariosm

    DiárioSMMulher é assassinada na região oeste de Santa Maria https://t.co/PjnX8VoQqu https://t.co/xgnVH6iXCChá 1 diaRetweet

Veja também

Diário de Santa Maria
Busca
clicRBS
Nova busca - outros