Cachorra mais famosa do Calçadão de Santa Maria morreu sábado - Diário de Santa Maria

Despedida28/08/2016 | 17h02Atualizada em 28/08/2016 | 17h10

Cachorra mais famosa do Calçadão de Santa Maria morreu sábado

Família que adotou a cadela da rua conta que ela morreu em função da velhice

Cachorra mais famosa do Calçadão de Santa Maria morreu sábado Ronald Mendes/Agencia RBS
Foto: Ronald Mendes / Agencia RBS

Uma das personagens mais populares da cena cotidiana de Santa Maria morreu no sábado, com aproximadamente 22 anos. Gorda, como ficou conhecida a cadela de rua que habitava o Calçadão, viveu seus últimos anos em uma casa quentinha e confortável, cercada de carinho da família que a adotou.

Assistida pela veterinária Silvia Schultz e da família que a adotou em setembro de 2010, a Gorda morreu em casa. Conforme a estudante Laura Godoy Fighera, 18 anos, uma das integrantes da família adotiva, Gorda teve uma morte tranquila, em decorrência principalmente da velhice. 

– Dói ver as fotos dela. Dói mais ver os outros cachorros que temos, que eram companheiros dela, procurando-a e sentindo sua falta. Ela era uma cadela única, extraordinária. Sempre carinhosa – lembra Laura, "irmã adotiva" de Gorda.

Gorda foi a cadela mais popular de Santa Maria. Conforme relatos, ela teria vivido por mais de 10 anos nas ruas. Seu lugar preferido era o Calçadão, onde transitou por manifestações, protestos e campanhas que lá ocorreram. Ali, ela ficou conhecida por todos, de quem recebia comida e carinho. Gorda era tão famosa que tinha até comunidade na rede social Orkut, e página no Facebook

Em 2010, ela foi adotada, depois que uma campanha foi lançada por protetores dos animais para que um lar fosse encontrado para a cadela, em função de sua idade avançada. Durante a ação, muitas pessoas se manifestaram à favor da permanência dela na rua como animal comunitário, mas a família da contadora Luciele Godoy, 43 anos, tratou de providenciar uma casa para a Gorda.

Em setembro do ano passado, quando completou cinco anos de sua adoção, Gorda foi tema do projeto do Diário Meu Pet é Pop, com direito a fotografias e vídeo. Na época, a cadela, que já estava mais fraca e com passos mais lentos, ainda tinha disposição para cuidar o movimento da rua e brincar com os demais animais da casa.

– Ela uma filha para todos nós. Era um anjo. Sempre falava que a Gorda era muito evoluída, tinha um espírito de cativar e aproximar as pessoas, tanto humanos quanto os animais. A minha filhota Gorda vai fazer muita falta para mim – lamenta Luciele.

Segundo a família, Gorda gostava de pizza, adorava ser celebridade e tinha paixão por ser fotografada. 

– A gorda vai seguir em nossas lembranças sempre. Em cada canto aqui de casa, assim como em cada um de nós, ela marcou de maneiras diferentes e únicas. Vamos sentir muita falta dela – diz Laura.

O animal foi enterrado na tarde de sábado, no jardim da casa em que morava, no Centro da cidade. No local, foram colocadas flores e será plantada uma árvore, a qual Gorda era acostumada a se deitar embaixo.



 

Comentar esta matéria Comentários (0)

Esta matéria ainda não possui comentários

Siga Diário SM no Twitter

  • diariosm

    diariosm

    DiárioSMBM encontra mais de 100 pedras de crack em casa na região norte de Santa Maria https://t.co/UobjAdgC95 https://t.co/iN1DGptmcYhá 12 horas Retweet
  • diariosm

    diariosm

    DiárioSMAcidente deixa uma motorista morta na ERS-342 em Cruz Alta https://t.co/lVJnmkEgNW https://t.co/JxiB5vzdwUhá 14 horas Retweet

Veja também

Diário de Santa Maria
Busca
clicRBS
Nova busca - outros