José Augusto Barros: "A importância de um bom grupo para 2017" - Esportes - Diário de Santa Maria

Paixão Tricolor15/12/2016 | 08h35Atualizada em 15/12/2016 | 08h35

José Augusto Barros: "A importância de um bom grupo para 2017"

José Augusto Barros: "A importância de um bom grupo para 2017" Félix Zucco/Agencia RBS
Foto: Félix Zucco / Agencia RBS

Teremos um longo ano pela frente. Com seis competições, 2017 pode nos reservar boas surpresas, ainda mais se o presidente Romildo Bolzan e sua equipe conseguirem achar os reforços certos para o Tricolor. Tivemos um excelente fim de ano, mas não podemos esquecer que um grupo mais numeroso e qualificado é fundamental para o ano que vem. Competições longas exigem bons jogadores, versáteis e que possam substituir os titulares com um mínimo de qualidade. Hoje é fácil notar carências. Marcelo Oliveira, mesmo tendo melhorado com Renato, não faz jus ao posto de titular. Acredito que seja preciso um lateral melhor.

Olhando para o banco de reservas do Grêmio na final da Copa do Brasil, notava-se outra deficiência: a falta de substituto para Douglas. Claro que não é fácil encontrar um reserva para ele com a mesma qualidade. Mas é necessário um jogador melhor que Negueba. Para essa posição, uma sugestão: Diego Souza. Seria um baita reforço. E claro, sempre contando com o surgimento de alguns nomes da base.

O mais importante
E deixei para o final o mais importante: precisamos de um centroavante e um outro atacante. Penamos muito nesse ano com dezenas de gols perdidos em diversas partidas. Pratto, do Galo, seria um baita nome. São caros e difíceis de trazer, mas esse é o trabalho de Bolzan e sua equipe.

Se o Tricolor conseguir se inspirar em exemplos como o Palmeiras, em 2016, Corinthians, em 2015, Cruzeiro, 2014, teremos um bom ano. Não temos a grana deles, mas nossos dirigentes sempre garimparam bons nomes.

Leia outras colunas da Paixão Tricolor

*Diário Gaúcho



 
 
Diário de Santa Maria
Busca
clicRBS
Nova busca - outros