Wendell Ferreira: como o futebol americano influenciou o ouro do vôlei  - Esportes - Diário de Santa Maria

De Fora da Área23/08/2016 | 06h15Atualizada em 23/08/2016 | 06h15

Wendell Ferreira: como o futebol americano influenciou o ouro do vôlei 

Repórter de ZH conta como o técnico Bernardinho se utiliza de métodos de outro esporte para melhorar o rendimento de seu time

Wendell Ferreira: como o futebol americano influenciou o ouro do vôlei  Divulgação/Ministério do Esporte/Fotos Públicas
Foto: Divulgação / Ministério do Esporte/Fotos Públicas

Os Estados Unidos conquistaram a medalha de bronze no vôlei masculino. A medalha de ouro ficou mais uma vez com o Brasil no Rio 2016, assim como havia sido em Barcelona 1992 e Atenas 2004. Mas, acredite você ou não, o futebol americano teve uma grande influência na conquista brasileira no Maracanãzinho.

Leia mais:

Itamar Melo: Bolt, a lesma
Cátia Bandeira: Flo-Jo, o mito misterioso e fashionista do atletismo
Fábio Iasnogrodski: 24 horas de uma inesquecível jornada olímpica

É que o técnico Bernardinho é um grande fã e especialista no modelo de comandar um time como se faz na NFL. Em janeiro deste ano, ele escreveu um artigo no jornal O Globo e explicou algo que os fãs de futebol americano já sabem: o nível de especialização do esporte exige um alto índice de conhecimento dos jogadores sobre tática e faz com que os treinadores se baseiem em estudo, ciência e dados para melhorar o rendimento de seus comandados. Não é à toa que uma comissão técnica da liga profissional dos Estados Unidos pode chegar a 20 treinadores. Há o técnico principal e seus assistentes diretos, coordenadores das unidades — ataque, defesa e times especiais —, e também treinadores para cada uma das posições do jogo, além dos fisiologistas.

Claro que esta é uma realidade muito distante para o esporte brasileiro. Hoje em dia, já é difícil manter um treinador de alto nível e seus assistentes em uma seleção de qualquer outro esporte que não o futebol. Mas Bernardinho procurou se focar nos conceitos utilizados pelo futebol americano para adaptá-los à realidade do Brasil e da sua seleção de vôlei. Buscou na larga bibliografia relativa à NFL pontos que poderia aplicar em seu trabalho e se inspirou no estilo de Bill Belichick, técnico principal do New England Patriots e considerado um dos melhores de todos os tempos nos Estados Unidos. Longe de ser o mais simpático, mas pragmático e vencedor.

Aos poucos, o esporte brasileiro busca este aperfeiçoamento. O aumento no número de clubes que investem em pacotes de bancos de dados, por exemplo, é significativo. Mas, como Bernardinho citou no texto escrito no início do ano, falta bibliografia no Brasil sobre modelos de comissões técnicas vencedoras. Livros que não contem apenas a história ou que relembrem os resultados de líderes em grandes resultados, mas que expliquem detalhadamente como estes líderes fizeram para chegar ao topo.

Boston, a cidade do New England Patriots, está a quase 8 mil quilômetros do Rio de Janeiro. Mas Bill Belichick teve alguma participação no segundo ouro olímpico que Bernardinho conquistou.

*ZH ESPORTES

 
 

Siga Diário SM no Twitter

  • diariosm

    diariosm

    DiárioSMConfira as vagas de empregos do Sine para segunda-feira em Santa Maria https://t.co/keWO2QnuTn https://t.co/eGx5HrXDVkhá 6 horas Retweet
  • diariosm

    diariosm

    DiárioSM34 coisas para fazer em Santa Maria e região neste final de semana https://t.co/c11n0S8KbU https://t.co/9o1wex3ugUhá 6 horas Retweet

Veja também

Diário de Santa Maria
Busca
clicRBS
Nova busca - outros