"O reconhecimento é a maior conquista da família Ribeiro", agradece Gilvan    - Esportes - Diário de Santa Maria

Rio 201619/08/2016 | 19h21Atualizada em 19/08/2016 | 19h22

"O reconhecimento é a maior conquista da família Ribeiro", agradece Gilvan   

Apesar de não chegar à medalha, canoísta de Santa Maria reconhece o carinho da torcida em sua primeira participação olímpica  

"O reconhecimento é a maior conquista da família Ribeiro", agradece Gilvan    Alexandre Loureiro/Exemplus/COB
Gilvan Ribeiro (E) em prova do K4 na manhã desta sexta-feira na Lagoa Rodrigo de Freitas Foto: Alexandre Loureiro / Exemplus/COB

Gilvan Ribeiro ainda não terminou a sua participação olímpica no Rio de Janeiro. Apesar disso, o atleta de Santa Maria já fala em tom de despedida. Os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro acabam neste domingo, após cerimônia de encerramento marcada para as 20h.  

Leia mais:
No K4, Gilvan não avança à final olímpica
"Dever cumprido", analisa Gilvan após estreia olímpica
Gilvan termina em 4º na semifinal e está fora da briga por medalha no K2
Após 15 anos de dedicação, Gilvan estreia na Olimpíada
Leia mais sobre o Rio 2016

Imensamente agradecido pelo carinho que tem recebido da torcida, principalmente a santa-mariense, Gilvan enfatiza o trabalho feito pela canoagem no Coração do Rio Grande, a partir da Associação Santa-Mariense de Esportes Náuticos (Asena) e com o Projeto Remar, que ensina a modalidade a crianças carentes:  

– A torcida é ouro. Isso é uma conquista de longos anos, mostrando o trabalho que eu, o Givago e a minha família fizemos pelo esporte em Santa Maria. E fizemos tudo sempre de coração. A cidade sabe disso. Ver esse reconhecimento é a maior conquista que a família Ribeiro conseguiu nesses últimos anos. No começo era difícil falar em canoagem em Santa Maria. As pessoas não sabiam nem onde se praticava. Conseguimos popularizar esse esporte em Santa Maria e isso é uma conquista incrível porque vai trazer cada vez mais praticantes – agrade Gilvan. 

Na manhã desta sexta-feira, o Brasil não obteve uma boa posição na prova de K4. O quarteto brasileiro ficou em último lugar em semifinal disputada na manhã desta sexta-feira e não conseguiu avançar à disputa por medalha. 

Gilvan Ribeiro, Roberto Maehler, Vagner Souta e Celso Dias voltam a competir na manhã deste sábado, às 10h4min, na final B do K4 1.000m, que não vale medalha, mas define a classificação dos países na competição. 

No K2, ao lado de Edson Silva, Gilvan terminou como o 10º barco melhor na classificação geral da Olimpíada. 

K4 1.000m – Sexta-feira

Eliminatória
1º) Alemanha — 2min52seg836
2º) Eslováquia — 2min55seg628
3º) Austrália — 2min55seg666
4º) Portugal — 3min01seg498
5º) França — 3min02seg376
6º) Brasil — 3min04seg804
7º) Cazaquistão — 3min04seg883

Semifinal
1º) Eslováquia — 2min59seg362
2º) Espanha — 3min00seg237
3º) França — 3min00seg896
4º) Rússia — 3min01seg065
5º) Itália — 3min03seg868
6º) Brasil — 3min09seg220

 

Comentar esta matéria Comentários (0)

Esta matéria ainda não possui comentários

Siga Diário SM no Twitter

  • diariosm

    diariosm

    DiárioSMSérie "Como assim, candidato?" entrevista Paulo Weller https://t.co/4sskaH3IdD https://t.co/oFYPixP7qihá 16 horas Retweet
  • diariosm

    diariosm

    DiárioSMJovem é executado na frente da mulher em Cacequi https://t.co/f8ntYUbCbu https://t.co/5fR1nMbP3Mhá 16 horas Retweet

Veja também

Diário de Santa Maria
Busca
clicRBS
Nova busca - outros