Gilvan Ribeiro reencontra projeto social e garante: "Asena será referência nacional" - Esportes - Diário de Santa Maria

Nas águas do Campestre24/08/2016 | 21h25Atualizada em 24/08/2016 | 21h25

Gilvan Ribeiro reencontra projeto social e garante: "Asena será referência nacional"

Canoísta do Time Brasil está de volta a Santa Maria após participação nos Jogos do Rio 2016 

Gilvan Ribeiro reencontra projeto social e garante: "Asena será referência nacional" Germano Rorato/Agencia RBS
Gilvan e alunos do projeto Remar ao fundo Foto: Germano Rorato / Agencia RBS

Após viajar 13 horas de carro entre Curitiba e Santa Maria, Gilvan Ribeiro está em casa. O canoísta olímpico chegou à cidade na terça-feira, acompanhado de um novo amigo, o norueguês Asmund Heir, que faz intercâmbio no Rio de Janeiro e resolveu conhecer o sul do país para compartilhar experiências. Descansou por algumas horas e, à noite, reencontrou os colegas de aula. É isso mesmo. Aos 27 anos, Gilvan cursa o 5º semestre de Jornalismo no Centro Universitário Franciscano (Unifra). 

Leia mais
"O reconhecimento é a maior conquista da família Ribeiro"
Gilvan encerra disputa no Rio com o 13º lugar no K4
Coluna do Gilvan: Show de Brasil!
Gilvan conclui K2 200m como o 10º melhor da Olimpíada

Nesta quarta-feira, na barragem do DNOS, sede da Associação Santa-Mariense de Esportes Náuticos (Asena), no bairro Campestre do Menino Deus, o atleta conversou com a reportagem do Diário enquanto observava de perto o futuro da canoagem santa-mariense: os aprendizes do projeto social Remar, criado pela família Ribeiro em 2012 e que, atualmente, conta com 15 alunos.

Gilvan reencontra os colegas do curso de Jornalismo no Centro Universitário Franciscano (Unifra) Foto: Gilvan Ribeiro / Arquivo Pessoal

— Um dos alunos chegou para mim hoje e disse "Que honra treinar com um atleta olímpico aqui". Mas a honra, na verdade, é minha em poder acompanhar nossos futuros atletas olímpicos — espera um ambicioso Gilvan.

Desta vez, ele não trouxe medalhas em sua bagagem. Mas a experiência olímpica pode fazer com que Santa Maria dê um salto enorme para se tornar uma referência nacional na modalidade.

— A Asena vai se tornar uma referência nacional. Começamos esse projeto há cinco anos com poucas perspectivas de crescimento. Era só uma área verde e uma água. Hoje, temos uma estrutura física pequena, mas organizada — explica Gilvan, que pretende, em breve, expandir categorias e infraestrutura. 

Norueguês Asmund Heir (D) visita Santa Maria pela primeira vez Foto: Germano Rorato / Agencia RBS

Gilvan deve fixar residência em Santa Maria até janeiro. É que, apesar do bom momento da canoagem brasileira, impulsionado, principalmente, pelo desempenho de Isaquias Queiroz na Olimpíada do Rio — faturou duas pratas e um bronze —, o futuro dos atletas da Seleção ainda é incerto. De momento, todos os canoístas que representaram o Time Brasil nos Jogos Olímpicos foram liberados, mas seguem na equipe. Porém, a data de retorno deles a Curitiba, sede da canoagem do Brasil, vai depender dos patrocínios firmados entre Confederação Brasileira de Canoagem (CBCa) e empresários.

Mesmo "de folga", o ano de competições ainda não terminou. De 22 a 25 de setembro, será realizado o Campeonato Brasileiro de Canoagem Velocidade, em Curitiba, no Paraná. A tendência, conforme normativas da CBCa, é que os três melhores canoístas nos 200m e nos 1.000m conquistem ou renovem vagas na seleção brasileira. Gilvan é o atual campeão brasileiro no K1 200m e o terceiro no K1 1.000m.   

 

Comentar esta matéria Comentários (0)

Esta matéria ainda não possui comentários

Siga Diário SM no Twitter

  • diariosm

    diariosm

    DiárioSMCandidatos à prefeitura de Santa Maria percorrem ruas do Centro em cadeiras de rodas https://t.co/LVLSIiEI6H https://t.co/b6oA7rxa4ihá 1 horaRetweet
  • diariosm

    diariosm

    DiárioSM25ª Romaria da Pessoa Idosa ocorre neste domingo em santa Maria https://t.co/HkwZbLRRK0 https://t.co/6NeTkFv9S8há 2 horas Retweet

Veja também

Diário de Santa Maria
Busca
clicRBS
Nova busca - outros