Bernardinho admite favoritismo "no papel", mas vê chances iguais para Brasil e Argentina nas quartas - Esportes - Diário de Santa Maria

Rio 201616/08/2016 | 01h38Atualizada em 22/08/2016 | 08h12

Bernardinho admite favoritismo "no papel", mas vê chances iguais para Brasil e Argentina nas quartas

Seleção masculina de vôlei suou para vencer a Fraça nesta segunda-feira, mas conseguiu a classificação 

Bernardinho admite favoritismo "no papel", mas vê chances iguais para Brasil e Argentina nas quartas Diego Vara/Agência RBS
Foto: Diego Vara / Agência RBS
André Baibich - Enviado especial ao Rio
André Baibich - Enviado especial ao Rio

andre.baibich@zerohora.com.br

— Não vou ser hipócrita e dizer que não somos favoritos no papel. Já passei da idade (risos). Mas é jogo eliminatório, 50% de chance para cada um.

A frase é de um Bernardinho direto, sem rodeios, ao ser perguntado sobre o confronto de quartas de final contra a Argentina no vôlei masculino. Ainda que os hermanos figurem, para grande parte dos analistas, em um patamar secundário na hierarquia da modalidade, respeitá-los é necessário para seguir adiante.

— A Argentina teve um ciclo muito bom de evolução, tem excelentes jogadores e um ótimo técnico. Essa história de favoritismo, se você me perguntasse no ano passado quem era favorito, eu diria que era a França, e hoje eles estão fora — completou o técnico brasileiro.

Leia mais:
Alison e Bruno vencem e se classificam à semifinal 
Brasil bate Rússia e se classifica em primeiro no vôlei feminino
Saiba no que o Brasil tem esperança de medalhas na última semana de Olimpíada

Com o risco da eliminação no jogo contra a França, a seleção se fechou em busca de soluções. Lucão chegou a afirmar que houve "umas 55 conversas" do grupo para acertar detalhes. Já Bernardinho mencionou uma reunião específica, em que pediu uma atitude mais agressiva, especialmente na hora de forçar o saque.

O time correspondeu. Entendeu a urgência de evitar uma eliminação em casa, algo que ficou evidente nas palavras do capitão Bruno:

— Fui duas vezes medalhista de prata, joguei final olímpica e nunca senti uma pressão como esta. Estávamos à beira do abismo de sermos eliminados em casa.

Veja como foi o jogo:


*ZHESPORTES

 

Comentar esta matéria Comentários (0)

Esta matéria ainda não possui comentários

Siga Diário SM no Twitter

  • diariosm

    diariosm

    DiárioSM"Eu acordei com uma ligação, e disseram que meu filho estava morto", diz pai de taxista https://t.co/6Y3vjZRVZ3 https://t.co/ZDFROJLMYFhá 15 horas Retweet
  • diariosm

    diariosm

    DiárioSMSanta Maria ganhará novo cursinho pré-vestibular https://t.co/FjzfzfdOin https://t.co/8RU8TyJudehá 19 horas Retweet

Veja também

Diário de Santa Maria
Busca
clicRBS
Nova busca - outros