O custo da promessa da saúde pública - Diário de Santa Maria

Coluna Finanças Pessoais28/10/2017 | 16h04Atualizada em 28/10/2017 | 16h04

O custo da promessa da saúde pública

Consumidor aborda situações envolvendo planos de saúde

 As famílias brasileiras investem em planos de saúde com a pretensa segurança de, quando precisarem de tratamento médico-hospitalar, estarão assistidas. Não raramente, o serviço de saúde que custa caro ao orçamento doméstico é judicializado para fins de cumprimento da oferta patrocinada por fornecedores de serviço de saúde privada.

Para driblar os efeitos colaterais da limitação do intervencionismo estatal, o Brasil recorre à regulação do mercado por meio de agências governamentais, a exemplo do que ocorre com a saúde, por meio da Agência Nacional de Saúde (ANS).

Não sustento aqui que saúde privada é algo fácil de se prestar, ao contrário, saúde é caro, inclusive quando a saúde pública passou a ser obrigação dos municípios encontramos, boa parte desses, quase em sua totalidade, amargando a dificuldade de prestar um serviço com excelência. Em que pese, o serviço prestado pelo Sistema Único de Saúde  (SUS) é mais efetivo que o serviço de saúde privado, considerando a complexidade, a quantidade de pacientes e os poucos recursos disponíveis.

Em relação ao Código de Defesa do Consumidor, há diretrizes básicas para a promoção da dignidade humana no âmbito das relações de consumo. Na ideia de vulnerabilidade, princípio basilar do Código, quando falamos de consumidor doente é mais pontual ainda, pois a vulnerabilidade é agravada, potencializada na medida que não temos somente um consumidor, mas, sim, um consumidor doente. 

Não temos aqui um texto de dados econômicos, planilhas e gráficos de custos, mas um pequeno manifesto em torno do quanto custa a saúde privada no Brasil. Posso afirmar: custa caro! Aliás, tudo que se remunera e não é prestado a contento, tem além do custo financeiro também o do aborrecimento diante da frustração do serviço. O consumi(dor) carrega em si a palavra dor, maior é a dor do consumidor doente.

 

Siga Diário SM no Twitter

  • diariosm

    diariosm

    DiárioSMRenato Mirailh: há mais de 30 anos nos palcos santa-marienses https://t.co/EJW8pNL2sF https://t.co/Gj4SKJPLNphá 1 diaRetweet
  • diariosm

    diariosm

    DiárioSMAssaltantes amarram casal de agricultores e fogem levando dinheiro e um carro https://t.co/bp0ydKBG8p https://t.co/A7KW3xj4gOhá 1 diaRetweet

Veja também

Diário de Santa Maria
Busca
clicRBS
Nova busca - outros