Você é um comprador compulsivo? Veja como identificar os sinais - Diário de Santa Maria

Coluna Finanças Pessoais13/04/2017 | 13h34Atualizada em 13/04/2017 | 13h34

Você é um comprador compulsivo? Veja como identificar os sinais

Colunista ajuda a entender quando o ato de comprar se torna doença

Muito se discute sobre o comportamento relacionado ao consumo, mas como saber se estamos exagerando nas compras? O que significa comprar compulsivamente?  O que leva uma pessoa a agir desta forma? Como enfrentar este problema?

Foto: pixabay / pixabay

Antes de mais nada, uma consideração importante a fazer: quando falamos de pessoas, é preciso sempre muito cuidado para compreendermos o fenômeno psicológico que se encontra presente por trás de um determinado comportamento, um sintoma ou de uma psicopatologia.

Assim como não devemos nos automedicar diante de um problema físico é necessário que tenhamos o mesmo cuidado em relação aos problemas de ordem emocional. Busque  orientação e tratamento  junto a profissionais qualificados quando perceber que existe algo errado e que você está precisando de ajuda.

Agora, vamos aos sinais:

Como saber, então, se estou apresentando um comportamento compulsivo por compras?

O ato de comprar, por si, só não constitui um problema em si. Mas quando isso ocorre de maneira excessiva, pode estar associado a um sofrimento psíquico relacionado a um conjunto de fatores responsáveis pelo seu surgimento e manutenção.

O fenômeno descrito por Emil Kraepelin em 1915 como Oniomania ou Compulsão por Compras também designado mais recentemente de compradores compulsivos ou shopaholics, caracteriza-se por ser uma psicopatologia em que a pessoa não consegue resistir à tentação de comprar.

O comprador compulsivo sente-se tomado por pensamentos repetitivos relacionados à aquisição de produtos/objetos seguido do comportamento de adquiri-lo, sem conseguir ter controle do impulso de comprar. No entanto, para uma pessoa ser considerada um comprador compulsivo necessita apresentar duas características: impulsividade e um perfil obsessivo-compulsivo. Veja alguns sinais:

1) Esconder as compras da família
2)  Comprar exageradamente
3)  Adquirir produtos que não são necessários e que, muitas vezes, não são usados
4) Ocultar a  quantidade de produtos ou a quantia gasta com a compra realizada
5) Sentir euforia e ansiedade antes e durante a compra
6) Experimentar a sensação de vergonha e culpa após a compra

A compra excessiva pode se mostrar presente em dois transtornos mentais bastante recorrentes em nossa sociedade. No Transtorno Bipolar, na fase maníaca, na qual ocorre a elevação do humor intenso de alegria e otimismo e a falta de capacidade para julgar com clareza as consequências dos atos. Nesse período, a pessoa pode desenvolver um surto desenfreado por compras, mas que não configura uma compulsão.

A compulsão por compras também encontra-se associada ao Transtorno Obssessivo Compulsivo (TOC). Trata-se de um quadro em que ocorre a presença de pensamentos ou imagens frequentes e persistentes direcionadas para a compra de objetos. Assim, a pessoa tem pensamentos repetitivos em relação à compra de um objeto e não consegue resistir a esses pensamentos e acaba por adquirir o produto.


Qual o tratamento para quem tem esse comportamento?

Existem diferentes abordagens terapêuticas que têm apresentado resultados positivos no tratamento. As formas de tratamento mais comuns são as psicoterapias, uso de medicamentos, grupos de apoio, acompanhamento para a família e  até mesmo a nomeação de um conselheiro financeiro, que possa auxiliar a pessoa em sua movimentação financeira.

É comum as pessoas só pedirem ajuda quanto o problema se encontra em um estágio mais avançado, em que há a presença de conflitos e dificuldades nas relações familiares, no âmbito financeiro e nos relacionamento. No entanto, buscar ajuda, orientação e tratamento é o melhor caminho para que as coisas não piorem e se conquiste melhor qualidade de vida para todos envolvidos.

Se você quer uma dica de filme que ilustra a problemática assista Os delírios de consumo de Becky Bloom que retrata a história de uma compradora compulsiva. Ele é baseado em uma série de livros shopaholic, da escritora britânica Sophie Kinsella.  


 

Siga Diário SM no Twitter

  • diariosm

    diariosm

    DiárioSMVÍDEO: entre saltos e rodopios, patinadores encantam a plateia https://t.co/h4TUokBhl5 https://t.co/IQy0pT1n3Whá 13 horas Retweet
  • diariosm

    diariosm

    DiárioSMCorpo de funcionário de universidade é encontrado em Santiago https://t.co/PkdN7kyyHK https://t.co/8kfjRZ9Qknhá 2 diasRetweet

Veja também

Diário de Santa Maria
Busca
clicRBS
Nova busca - outros