Yet GO começa a funcionar em Santa Maria até a próxima segunda-feira - Diário de Santa Maria

Transporte14/02/2017 | 13h00Atualizada em 15/02/2017 | 08h32

Yet GO começa a funcionar em Santa Maria até a próxima segunda-feira

Aplicativo semelhante ao Uber promete preços menores que os de táxi

Yet GO começa a funcionar em Santa Maria até a próxima segunda-feira táxis,táxi 2013,taxista 2013,ponto de táxi,frota de táxis,Santa Maria 2013,projeto,prefeitura 20/Agencia RBS
Foto: táxis,táxi 2013,taxista 2013,ponto de táxi,frota de táxis,Santa Maria 2013,projeto,prefeitura 20 / Agencia RBS

O aplicativo para celulares Yet GO, que oferta o serviço de transporte individual de passageiros semelhante ao Uber, vai começar a funcionar no máximo até a próxima segunda-feira em Santa Maria.

 Conforme o Chief Executive Officer (CEO) da empresa, Jailson Ferreira, 98 motoristas já estão aptos para operar dentro do serviço e 240 estão cadastrados e aguardam avaliação. A meta é chegar até 500 carros vinculados ao Yet GO na cidade.

– Quem já baixou o aplicativo na App Store ou na Google Play pode ver que ele já está disponível na cidade, mas a escala é menor: são entre 15 e 20 motoristas que atuaram durante a fase de testes. Queremos começar já na sexta-feira, mas o mais certo é na próxima segunda-feira. Aí, é oficial: estaremos em Santa Maria – diz Ferreira.

Aplicativos semelhantes ao Uber devem chegar a Santa Maria em breve

O Yet GO tem como preço base da corrida R$ 3. Há o acréscimo de R$ 0,15 por minuto, e mais R$ 1,70 por quilômetro, preço que seria mais competitivo que o de um táxi, por exemplo, e que ofertaria mais comodidade frente à alta dos valores da gasolina e taxas cobradas por estacionamentos, segundo Ferreira.

– O preço médio de uma corrida é de R$ 15 em Porto Alegre. Esse valor é cobrado, muitas vezes, na primeira hora de um estacionamento. Em Santa Maria, o preço médio deve ser menor. Além de o usuário não ter que enfrentar a dor de cabeça de precisar tirar o carro da garagem e enfrentar o trânsito, tem toda a comodidade de um serviço de transporte com motorista particular, carro com ar-condicionado e oferta de água – explica Ferreira.

Diferente do Uber, o aplicativo cobra tarifa fixa (ou seja, não há tarifas dinâmicas, onde o preço aumenta em horários de pico por conta da demanda) e não há taxa de cancelamento por desistência da corrida.

Chegada de aplicativos preocupa taxistas de Santa Maria

Motoristas interessados em oferecer o serviço devem fazer um cadastro por meio do aplicativo. Eles passarão por uma avaliação, além de pesquisa de antecedentes criminais e histórico de infrações de trânsito. Hoje, a empresa está em mais de 60 cidades e tem cerca de 10 mil motoristas cadastrados. O perfil na cidade é de motoristas com até 30 anos e que devem utilizar o serviço como forma de complementar a renda.

O tipo de serviço prestado por esses aplicativos não é regulamentado por uma legislação federal, razão pela qual cabe a cada município deliberar quanto à legalidade e determinar as regras. A população tem sido favorável ao serviço, tendo o Uber como exemplo, que tem sido legalizado em diversas capitais. A vinda dessas empresas para a cidade tem preocupado taxistas.

 
 

Siga Diário SM no Twitter

  • diariosm

    diariosm

    DiárioSMExcursões e ônibus com desconto levam produtores à Expointer https://t.co/XO5I40oD5P https://t.co/M1l2poLG5Lhá 13 minutosRetweet
  • diariosm

    diariosm

    DiárioSMJustiça Federal condena servidoras por fraudar ponto no INSS https://t.co/gfD5uEDw0c https://t.co/BssfSqPpcShá 33 minutosRetweet

Veja também

Diário de Santa Maria
Busca
clicRBS
Nova busca - outros