Incubadora tecnológica da UFSM: incentivo para ser seu próprio chefe - Diário de Santa Maria

Empreendedorismo26/02/2017 | 13h06Atualizada em 26/02/2017 | 13h06

Incubadora tecnológica da UFSM: incentivo para ser seu próprio chefe

Espaço ofertado de graça já foi porta de entrada no mercado para dezenas de empresas

Incubadora tecnológica da UFSM: incentivo para ser seu próprio chefe Gabriel Haesbaert/NewCo DSM
Foto: Gabriel Haesbaert / NewCo DSM

Em operação há 18 anos, a Incubadora Tecnológica de Santa Maria (ITSM), que funciona dentro da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), já foi a porta de entrada no mundo dos negócios para 30 empresas que hoje estão em operação na cidade e em outras cinco: Silveira Martins, Restinga Seca, Porto Alegre, São Paulo e até Brasília.

Entre as empresas, estão a Baristo, especialista em máquinas de café; a Delivery Much, site de entrega de comida pela internet; a Sonnen Energia, que tem se destacado na produção e comércio de tecnologia para produção de energia solar; e a Imgnation Studios, desenvolvedora de games.

Gasolina e Diesel ficam mais baratos em Santa Maria

Presidente e fundadora da ITSM, Nilza Zampieri afirma que o objetivo da incubadora é fortalecer o terceiro pilar da UFSM: extensão. Isso, dando a chance aos alunos de se arriscarem com suas ideias antes de entrar efetivamente no mercado de trabalho.

– O comum é que o aluno seja ensinado ao passar pela graduação, e pesquisar ao passar pela pós-graduação. Acabam tendo como desejo trabalhar em uma grande empresa ou fazer concurso e se tornar servidor público. Por qual razão não ter sua própria empresa, ser seu próprio chefe? – questiona Nilza.

Projeto de iluminação da Faixa Velha está pronto, mas falta dinheiro 

Mordido pelo mosquito do empreendedorismo, Márcio Depexe, 28 anos, e outros colegas do curso de engenharia elétrica fundaram a SRA Engenharia, que, entre idas e vindas, está há sete anos na incubadora e se prepara para deixá-la. Pensada para desenvolver tecnologia para automação de edificações (casas inteligentes, por exemplo), vencedora do prêmio Perfil Empreendedor, conta que o tempo na incubadora foi necessário para que a empresa ganhasse alguma estabilidade para, então, começar a andar com as próprias pernas.

– Não existe uma cultura de empreendedorismo dentro da universidade, mas depois que o mosquito te morde, não tem jeito. Nós começamos com um determinado número de sócios, alguns saíram para tentar outras coisas, mas acabaram voltando para ideia de ter sua própria empresa – relata Depexe, comentando já ter um número de clientes e uma capacidade para tocar projetos em paralelo que permite a "graduação" na incubadora.

Quase 2 anos após licitação, por que a BR-392 continua sem obra de duplicação em Santa Maria

Incubadora proporciona a oportunidade de começar uma empresa sem muito risco. A Weevee, esperta, aproveitou para conseguir a estabilidade necessária para entrar, efetivamente, no mercado Foto: Gabriel Haesbaert / NewCo DSM

Outra empresa que passa pelo processo de estabilização é a Weevee, responsável por encontrar soluções tecnológicas para problemas quaisquer. O engenheiro eletricista Alexandre Bolzan, 29 anos, conta que a empresa começou pensando em produzir um dispositivo que seria acoplado a pneus e, assim, forneceria dados como desgaste e temperatura. Hoje, entre outros equipamentos, produz chocadeiras.

– Nós identificamos uma necessidade e tentamos atendê-la, produzindo tanto o software quanto o hardware, o que nos dá bastante trabalho – brinca Bolzan, que integra uma equipe com menos de 10 profissionais e tem clientes em todo o Estado.

Nova semente de arroz elimina o uso de fungicida

Estudantes do curso de Engenharia da Computação deram início à empresa a partir da incubadora Foto: Gabriel Haesbaert / NewCo DSM

Os estudantes de Engenharia da Computação Matheus Dal Mago, 22 anos, e Josias Orlando, também com 22, desenvolveram um dispositivo que permite controlar, em contêineres de lixo, a quantidade de desejos, otimizando o serviço de coleta, evitando casos de lixeiras transbordando, por exemplo. Eles criaram a Solve, empresa sediada hoje na ITSM.

ITSM em números
Capacidade: 17 empresas
Ocupam o espaço: 14
Empresas graduadas: 44
Cidades onde estão as empresas: Santa Maria, Silveira Martins, Restinga Seca, Porto Alegre, Brasília e São Paulo
Planos de negócio recebidos: 101
Investimento: R$ 3 milhões na obra, mais R$ 129 mil para ampliação
Espaço: variam de 9 m² até 12 m² por empresa. É disponibilizada luz, água internet. Conta com anfiteatro e salas de reunião
Como entrar: é por meio de edital, no site (coral.ufsm.br/itsm). As empresas que entram são avaliadas de dois em dois anos

Incubação
Média de anos incubada: três (um deles de pré-incubação, com o acompanhamento de um tutor)
Em média, três empresas se graduam por ano

Empresas que já se graduaram da incubadora
68% das empresas estão ativas
9% foram encerradas encerradas
7% foram incorporadas durante incubação
16% estão inativas 

Empresas incubadas
Alvo
Boca do Monte
Conplan
Condomer
Grotte
Match Pal
Seven Engenharia
Sniffer
Solve
SRA Engenharia
Stips
Sttalo
Taskka
Weevee

 
 

Siga Diário SM no Twitter

  • diariosm

    diariosm

    DiárioSMPesquisa mostra que preço da gasolina subiu em Santa Maria https://t.co/VARXUOebNG https://t.co/wnVXCmrO68há 20 minutosRetweet
  • diariosm

    diariosm

    DiárioSMLoterias acumulam e pagam quase R$ 10 milhões nos próximos sorteios https://t.co/DajSdPr19v https://t.co/53plZAgxl2há 49 minutosRetweet

Veja também

Diário de Santa Maria
Busca
clicRBS
Nova busca - outros