Velório de Teori atrai alta cúpula do poder, mas poucos populares - Diário de Santa Maria

Bastidores do poder21/01/2017 | 20h03Atualizada em 22/01/2017 | 11h39

Velório de Teori atrai alta cúpula do poder, mas poucos populares

Passaram em frente ao esquife do ministro figuras delatadas na Lava-Jato, como o próprio Temer e o ministro José Serra (PSDB)

Velório de Teori atrai alta cúpula do poder, mas poucos populares Mariana Fontoura/Especial/Agência RBS
Foto: Mariana Fontoura / Especial/Agência RBS

O velório do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki não teve multidões, já que o homem a ser sepultado era um juiz bastante discreto e não um político dado às luzes da ribalta. O tempo reservado para que populares se despedissem de Teori Zavascki foi curto e a segurança, espartana. Todos passavam por detetor de metais.

Mas, apesar da revista minuciosa, o adeus a Teori Zavascki serviu para congregar visitantes ilustres, política e conversas de bastidores como há muito não se via na capital gaúcha. Passaram em frente ao esquife do ministro figuras delatadas na Lava-Jato — como o próprio Temer e o ministro José Serra (PSDB) — e o homem responsável por desencadear essa que é a maior operação anti-corrupção da história brasileira: o juiz paranaense Sergio Moro. Como é de seu estilo, evitou polêmicas e confiou que será encontrada "uma solução institucional" para a continuidade da Lava-Jato no STF.

Leia mais
Temer só indicará o sucessor de Teori após STF escolher relator da Lava-Jato
No velório de Teori, definições importantes para a Lava-Jato
Autoridades prestam últimas homenagens a Teori Zavascki

Moro chegou a ser alvo de algumas reprimendas de Teori por ter liberado grampos telefônicos para a imprensa antes dos suspeitos terem acesso às gravações, mas parece não ter guardado mágoa. O magistrado elogiou Teori e o chamou de "herói do povo brasileiro".

Moro deixou Porto Alegre pouco antes de Michel Temer chegar. O presidente desembarcou às 13h e ficou pouco mais de uma hora na cerimônia fúnebre, acompanhado de um séquito de ministros que atuam no núcleo político do governo: José Serra (Relações Exteriores), Osmar Terra (Desenvolvimento Social e Agrário), Eliseu Padilha (Casa Civil) e Alexandre Moraes (Justiça). Todos se alinharam em frente ao caixão de Teori. O presidente tocou no esquife (fechado e ornamentado com a bandeira do Brasil) e fechou os olhos.

Acompanharam também Temer na visita o governador gaúcho José Ivo Sartori (PMDB), o secretário estadual da Segurança Pública, Cezar Schirmer, e o governador paulista Geraldo Alckmin (PSDB).

Um dos temores dos seguranças, a de que manifestantes provocassem um incidente durante o velório de Teori Zavascki, não se concretizou. A cerimônia transcorreu com total calma.

Temer foi pródigo em elogios ao morto. Falou que Teori era "um homem de bem, de têmpera, de ação moral e profissional". O presidente da República considerou que o Brasil chora a perda de um homem que honrou a memória do país.

— Que Deus o conserve e console o Rio Grande do Sul e Santa Catarina, onde ele viveu — finalizou Temer.

 
 

Siga Diário SM no Twitter

  • diariosm

    diariosm

    DiárioSMPesquisa mostra que preço da gasolina subiu em Santa Maria https://t.co/VARXUOebNG https://t.co/wnVXCmrO68há 20 minutosRetweet
  • diariosm

    diariosm

    DiárioSMLoterias acumulam e pagam quase R$ 10 milhões nos próximos sorteios https://t.co/DajSdPr19v https://t.co/53plZAgxl2há 49 minutosRetweet

Veja também

Diário de Santa Maria
Busca
clicRBS
Nova busca - outros