Sob criticas e elogios, encerra-se a 29º Feisma - Diário de Santa Maria

Feisma07/11/2016 | 09h54Atualizada em 07/11/2016 | 10h22

Sob criticas e elogios, encerra-se a 29º Feisma

Segundo o organizador do evento, Luiz Fernando Pacheco, a funcionalidade e segurança foram diferenciais na edição de 2016 

Sob criticas e elogios, encerra-se a 29º Feisma Gustavo Ruviaro,especial/Agência RBS
Foto: Gustavo Ruviaro,especial / Agência RBS

No ano em a crise marcou a economia do país, em Santa Maria, a 29ª edição da Feisma, encerrada na noite deste domingo, garantiu casa cheia nos nove dias de evento.

Conheça os vencedores do concurso Perfil Empreendedor

A feira organizada pela Câmara de Comércio Indústria e Serviços de Santa Maria (Cacism) recebeu cerca de 110 mil pessoas, com movimento intensificado nos finais de semana e no feriado. De antemão, o organizador, Luiz Fernando Pacheco, assinala a funcionalidade, a estética e, sobretudo, a segurança como diferenciais.

Novo prefeito de Santa Maria quer mexer no orçamento municipal

Esta, por sinal, é a  justificativa de Pacheco para algumas sugestões de melhorias apontada pelo público ouvido pelo Diário.

– Cerca de 90% dos expositores têm máquina para cartão. Por segurança, eu não traria um caixa eletrônico para correr o risco de ser arrombado. Como poucas feiras no Estado, cobramos R$ 10 para que os carros ficassem cobertos, protegidos da chuva e a 30 metros da feira. No dia do temporal, não tivemos um dano na estrutura e contamos com cerca de 20 bombeiros civis. A ideia é permanecer no CDM. Imagina se estivéssemos em um parque aberto? – indaga o organizador.

Também em resposta às sugestões de visitantes e expositores, Pacheco explica que deve ser mantida a tradição de realizar o evento no começo do mês. Um dos motivos é para não ter de concorrer com um cronograma de outras feiras Estado afora. Outro porque o feriado de 2 de novembro é, historicamente, o dia de maior movimento.

 Segundo ele, a feira conservará o caráter de pluralidade: pavilhões segmentados e estandes que atendam a todos os bolsos e públicos, sem rótulos de feira popular ou feira elitizada.Pacheco não confirma totalmente, mas há a possibilidade de a próxima edição ocorrer já em 2017.

Pontos fortes mencionados por visitantes e expositores

– Limpeza, organização e segurança: Todos os pavilhões estão sempre muito limpos, a organização é impecável e a segurança também– Carla Boelter

– Decoração, variedade de estandes e praça de alimentação – Martha Brum, 58 anos,

A melhorar

– Caixa eletrônio: Passei por uma situação chata, pois fui comprar em um estande que não aceitava cartão. E na feira não havia disponível nenhum caixa para saque. Das outras vezes tinha. Isso fica ruim tanto para o expositor quanto para quem quer comprar – Ademir Silveira

– Qualidade de estande: "Achei a qualidade dos estandes do pavilhão do comércio muito inferior. O Minuano parece um camelô melhorado" – Walter Pfeiffer

– Espaço dos estandes: "A administração pública poderia definir um parque e fazer restaurantes e estandes, a exemplo de como é em Santa Rosa, com a Fenasoja", comentou o visitante Walter Pfeif fer

– Data e estacionamento: "Alguns clientes reclamaram que ainda não haviam recebido o salário do mês. Aí fica difícil comercializar. Nossa sugestão seria começar a feira no dia 10", disse o expositor Rogério Pontes, 49 anos, que também pediu que o estacionamento seja gratuito para quem está expondo

 
 

Siga Diário SM no Twitter

  • diariosm

    diariosm

    DiárioSMMulher é assassinada na região oeste de Santa Maria https://t.co/PjnX8VoQqu https://t.co/xgnVH6iXCChá 6 horas Retweet
  • diariosm

    diariosm

    DiárioSMPelos trilhos, chegou o samba em Santa Maria https://t.co/sVGmCS0tNY https://t.co/ICHoOh2gYmhá 8 horas Retweet

Veja também

Diário de Santa Maria
Busca
clicRBS
Nova busca - outros