Como um dos homens fortes de Temer virou pivô de uma crise no Planalto  - Diário de Santa Maria

Caso Geddel25/11/2016 | 10h47Atualizada em 25/11/2016 | 12h28

Como um dos homens fortes de Temer virou pivô de uma crise no Planalto 

Polêmica em torno do edifício de luxo pode causar ainda nesta sexta-feira a demissão do ministro da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima, 

Como um dos homens fortes de Temer virou pivô de uma crise no Planalto  Divulgação/La Vue
Residencial La Vue Ladeira da Barra tem 97,88 metros de altura distribuídos por 30 andares Foto: Divulgação / La Vue

Com 97,88 metros de altura distribuídos por 30 andares, o Residencial La Vue Ladeira da Barra foi projetado para ser um colosso de concreto e vidro encravado em pleno centro histórico de Salvador. Aos compradores, o incorporador Cosbat Empreendimentos oferecia uma vista deslumbrante da Baía de Todos os Santos. O mais notável deles, contudo, pode ser defenestrado do governo sem jamais desfrutar do cenário paradisíaco.

Ministro da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima é acusado de tráfico de influência e advocacia administrativa pelo ex-ministro da Cultura Marcelo Calero. À Polícia Federal, Calero disse que sofreu intensa pressão de Geddel para liberar a construção do edifício, barrada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). No depoimento, prestado um dia após Calero pedir demissão, ele também afirma ter sido assediado pelo presidente Michel Temer e pelo ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha. 

Residencial foi projetado para ser um colosso de concreto e vidro em pleno centro histórico de Salvador Foto: Divulgação / La Vue

Leia mais
PGR analisa abrir inquérito para investigar ministro Geddel Vieira Lima
Primo de Geddel atua em favor de obra polêmica há mais de dois anos 
Após depoimento de Calero à PF, oposição fala em impeachment  

Abaixo, veja como a sucessão de fatos envolvendo a cúpula do Planalto pode resultar na exoneração de um dos mais influentes auxiliares de Temer.

Fevereiro de 2014

O projeto do La Vue Ladeira da Barra é protocolado na superintendência regional do Iphan na Bahia. Um laudo emitido em conjunto pelo próprio Iphan, governo do Estado e pela prefeitura de Salvador afirma que o impacto paisagístico causado pelo empreendimento não recomenda a construção.

Outubro de 2014

O Escritório Técnico de Fiscalização, órgão que emitiu o parecer contrário ao La Vue, é extinto pelo Iphan.

Novembro de 2014

Com entendimento contrário ao laudo emitido nove meses antes, o coordenador-técnico do Iphan na Bahia, Bruno Tavares, libera o empreendimento. A permissão tem base em um estudo considerado sem valor legal, que delimita área de proteção ao patrimônio no bairro da Barra.

Março de 2015 

Com base no laudo do Iphan, a prefeitura de Salvador libera alvará para a obra. Os primeiros apartamentos começam a ser vendidos. Com 255 metros quadrados, cada apartamento vale em média R$ 2,6 milhões.

Setembro de 2015

A seccional baiana do Instituto dos Arquitetos do Brasil ingressa com ação civil pública questionando a obra.

Maio de 2016

Ao analisar o projeto e as regras que regem a proteção do patrimônio histórico na região, a direção nacional do Iphan afirma que a construção não é compatível com o local escolhido. Em seguida, parentes do ministro Geddel Vieira Lima recebem procuração e passam a representar o empreendimento junto ao Iphan.

Novembro de 2016

Ao acatar parecer de sua procuradoria, Iphan embarga a obra.

18 de novembro

O ministro da Cultura, Marcelo Calero, pede demissão. Em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo, ele alega ter recebido sucessivas pressões de Geddel para interceder junto ao Iphan, liberando a obra.

19 de novembro

A entrevista de Calero cai como uma bomba no governo. Acuado, Geddel confirma ter procurado Calero para falar sobre o La Vue, mas nega qualquer interferência indevida.

21 de novembro

Reunida para avaliar a denúncia, a Comissão de Ética Pública tem o trabalho suspenso por um pedido de vista do conselheiro José Saraiva, indicado ao cargo pelo próprio Geddel. Assustado com a repercussão, Geddel telefona ao amigo pedindo que ele recue. O colegiado então decide por unanimidade abrir processo para investigar a conduta do ministro. 

22 de novembro

Chorando, Geddel recebe uma moção de solidariedade assinada por 27 líderes e vice-líderes da base de sustentação do governo no Congresso. No documento, os deputados afiançam "amplo e irrestrito" apoio a Geddel e reafirmam "confiança" no trabalho do ministro.

23 de novembro

 Atendendo a pedido de liminar do Ministério Público Federal, a Justiça determina a paralisação das obras do La Vue, por entender que o projeto infringe as regras de proteção do patrimônio histórico.

24 de novembro

Vem à tona o depoimento de Calero à Polícia Federal. Aos investigadores, o ex-ministro conta estar sendo pressionado a liberar a obra desde junho. Calero relata ter sido assediado a interferir no caso pelo presidente Michel Temer, pelo ministro-chefe da Casa Civil, Elise Padilha, e por outros assessores do Palácio do Planalto. Desconfiando de que foram gravados por Calero, Temer e Padilha confirmam as conversas, mas negam qualquer ter cometido qualquer irregularidade. 

 
 

Siga Diário SM no Twitter

  • diariosm

    diariosm

    DiárioSMComeça neste sábado a última edição do Pátio Rural https://t.co/b5bMVDdIk2 https://t.co/ehS8b5isUehá 9 minutosRetweet
  • diariosm

    diariosm

    DiárioSMComportamentos dos cachorros que devem ser controlados para evitar acidentes https://t.co/FrUtvYUDPH https://t.co/AuxNEwk50hhá 39 minutosRetweet

Veja também

Diário de Santa Maria
Busca
clicRBS
Nova busca - outros