Piratini orienta população a "manter atividade normal" na quinta-feira - Diário de Santa Maria

Crise no Estado02/08/2016 | 15h43Atualizada em 02/08/2016 | 17h20

Piratini orienta população a "manter atividade normal" na quinta-feira

Governo do Estado pede a sindicatos para que "não estimulem pânico" com paralisação

Piratini orienta população a "manter atividade normal" na quinta-feira Leandro Osório/Especial Palácio Piratini
Palácio Piratini deve concentrar protestos na quinta-feira Foto: Leandro Osório / Especial Palácio Piratini

Em resposta à perspectiva de paralisação dos servidores da segurança pública na próxima quinta-feira, o Palácio Piratini orienta a população a "manter suas atividades normalmente" na data. 

Nos bastidores, a cúpula do governo avalia como injusta a reação na Brigada Militar e na Polícia Civil, sob o argumento de que os agentes da segurança são os únicos, no Poder Executivo, que vêm recebendo reajustes acima da inflação — os aumentos foram aprovados no governo de Tarso Genro (PT) e vêm sendo honrados por José Ivo Sartori (PMDB).

Leia também:
Salários de servidores estaduais devem ser parcelados até dezembro
Sindicatos convocam paralisação e prometem "trabalho parcelado"
Sindicatos de categorias da segurança pública convocam paralisação no dia 4

No caso dos soldados, por exemplo, o vencimento padrão era de R$ 2.398,26 em janeiro de 2015. Desde maio deste ano, passou a ser de R$ 3.135,32. 

— O parcelamento de salários não é um ato de vontade política, mas uma contingência. A situação foi agravada fortemente pelo governo anterior e pela crise econômica do país — diz um integrante do alto escalão.

Na tentativa de evitar problemas na quinta-feira, o governo pede aos sindicatos e associações de classe para que "não estimulem um clima de pânico no Estado", o que, segundo o Piratini, apenas "reforçaria a criminalidade".

Entidades como o Sindilojas Porto Alegre também estão orientando os associados a manterem atividades normais na quinta-feira. Por meio de nota oficial, a entidade ressaltou apoiar "a decisão dos trabalhadores de buscarem melhores condições de trabalho e a remuneração integral". Apesar disso, afirmou que "repudia qualquer ato que prejudique a sociedade e que deixe a população sem um serviço básico, como o da segurança pública".

— Entendemos o direito de o funcionalismo reivindicar o pagamento integral da sua remuneração. Porém, não podemos fechar as portas das nossas lojas, ainda mais em um ano de crise no país. Um dia sem o funcionamento do comércio impactará em toda a arrecadação do mês, tanto para os nossos negócios como para o município, e isso trará consequências para toda a sociedade — declarou o presidente do Sindicato, Paulo Kruse. 

 

Comentar esta matéria Comentários (0)

Esta matéria ainda não possui comentários

Siga Diário SM no Twitter

  • diariosm

    diariosm

    DiárioSMCorintians recebe o Guarani-VA pela 3ª rodada do Estadual de Basquete https://t.co/oAQrQsChzk https://t.co/fxsAbDnY5yhá 2 horas Retweet
  • diariosm

    diariosm

    DiárioSMPrêmio Empreendedor é uma oportunidade das instituições mostrarem suas pesquisas https://t.co/xYX6QSQkWN https://t.co/kPZuZuNRm9há 3 horas Retweet

Veja também

Diário de Santa Maria
Busca
clicRBS
Nova busca - outros