Como Santa Maria está acompanhando o impeachment - Diário de Santa Maria

Enquete29/08/2016 | 20h32Atualizada em 30/08/2016 | 08h05

Como Santa Maria está acompanhando o impeachment

Reportagem conversou com 30 pessoas no centro da cidade durante a tarde desta segunda-feira

Como Santa Maria está acompanhando o impeachment Germano Rorato/Agencia RBS
Foto: Germano Rorato / Agencia RBS

"Não gosto de política", "não sei", "não posso falar", "estou com pressa", "não quero santinho". Na tarde desta segunda-feira, a reportagem do Diário abordou 30 pessoas no Calçadão e na Praça Saldanha Marinho, no centro de Santa Maria.

Senado julga impeachment de Dilma Rousseff nesta segunda-feira

Em meio à correria cotidiana e à chuva, que não deu trégua nem por um minuto, apenas oito pessoas toparam falar sobre a parte final do julgamento de impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff. Foram quase nove meses de processo depois de o ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB) autorizar o procedimento.

Confira quanto cada prefeiturável terá de tempo de propaganda na TV  

O que se traduz das respostas dos santa-marienses é uma sociedade cansada de corrupção e, por vezes, indiferente ao que está acontecendo. Na visão da maioria, o acúmulo de fatores, os casos de corrupção e o desgaste do próprio governo Dilma, foi o que levou ao quadro atual. No entanto, a maioria dos entrevistados desconhece os motivos pelos quais Dilma está sendo julgada. No caso, o crime de responsabilidade e as pedaladas fiscais.  

– A corrupção não é de um partido. Em um interrogatório como o de hoje (segunda-feira), deveriam ter mais provas. Eu, como povo, não enxergo essas provas. Ela (Dilma) tem muito o que explicar. Os indícios são muito grandes. Acho que o impeachment é uma solução dentro do quadro de corrupção – pondera o coordenador administrativo Luís Oliveira Ramos, 49 anos.   

Segurança falha em metas para reduzir roubos, homicídios e latrocínios no RS

Observa-se que, para alguns, o impeachment é visto como uma oportunidade de iniciar uma mudança na política brasileira.  

– A alternativa de momento é o impeachment, mas não é a solução. Ela (Dilma) mentiu para a população e estava muito mal acompanhada. Acho que o Temer (presidente em exercício) vai tomar muito cuidado para não roubar. Por que não é sempre como foi na Olimpíada do Rio? Por que não damos exemplo na política também? – questiona o professor aposentado José Antônio Vargas da Silva, 67 anos.       

Pouca esperança

Por outros olhos, a esperança de mudança passa longe. E mais: tende a piorar a partir da saída de Dilma em definitivo do poder:

– Vão tirar ela para colocar um pior? Se é para ela sair, o povo tem de eleger um novo candidato. Não sei se ela roubou ou cometeu um crime. O que sei é que várias pessoas cresceram através dos programas sociais da Dilma e do Lula – afirma o soldador Roberto Gonçalves, 31 anos.      

O ceticismo político do brasileiro se reflete na frase curta e sem rodeios da aposentada Noemi Gonçalves, 70 anos: 

– Ninguém conversa sobre política porque todos estão desiludidos.

 

Comentar esta matéria Comentários (0)

Esta matéria ainda não possui comentários

Siga Diário SM no Twitter

  • diariosm

    diariosm

    DiárioSM"Eu acordei com uma ligação, e disseram que meu filho estava morto", diz pai de taxista https://t.co/6Y3vjZRVZ3 https://t.co/ZDFROJLMYFhá 17 horas Retweet
  • diariosm

    diariosm

    DiárioSMSanta Maria ganhará novo cursinho pré-vestibular https://t.co/FjzfzfdOin https://t.co/8RU8TyJudehá 20 horas Retweet

Veja também

Diário de Santa Maria
Busca
clicRBS
Nova busca - outros