Estreou? E agora? - Cultura e Lazer - Diário

Versão mobile

Coluna Cultura08/09/2017 | 17h10Atualizada em 08/09/2017 | 18h35

Estreou? E agora?

Colunista fala sobre anseios, angústias e manutenção de projetos culturais


A cortina cerra.
As luzes se apagam.
A estreia finda.

O trabalho de meses, agora, terá que avançar de outro modo. O artista cênico, que antes estava focado no seu agir de um modo, agora há de transmutar-se. Seu trabalho é o mesmo, e outro, mas não se encerra. Pelo menos para artistas que têm que se auto produzir (a grande maioria que conheço).

Aquelas noites mal dormidas, em que os sonhos (literalmente) tentavam prever se tudo daria certo ou errado no primeiro contato do espetáculo com o público, já não irão ocupar mais lugar na cabeça nas próximas noites de sono, provavelmente.

Serão substituídos pelo checklist interminável da nova etapa que se inicia e pela ansiedade de fazer o trabalho que se encerra, no palco, começar.

Estranho? Explico.

Se vocês acham que levantar um espetáculo cênico (completamente independente) já é por si só um trabalho hercúleo, imaginem colocar toda a sua imaginação e transpiração na próxima etapa em que essa obra tem que existir. Afinal, quem se dispõe a fazer disso vida, e tem nisso necessidade, tal qual respirar, quer que sua arte e seu trabalho avance e encontre o público.

Se pensarmos que grande parte da arte produzida vale-se da máxima que a arte é/acontece no encontro, de que vale então um espetáculo que se propõe a encontrar com as pessoas, mas não circula? 

Entãé hora de circular, de ganhar asas, estrada, risos, lágrimas e saudades.

No 31 de agosto, a peça "Lógica Ltda" estreou no Treze de Maio com direção de Leonardo Roat. No palco, os atores  Felipe Mendes (à esq.) e Tiago Teles (à dir.), como os palhaços Zero-Um e Zero-Zero Foto: Dartanhan Baldez Figueiredo / Divulgação

A primeira semana pós-estreia gera não só um vazio do término das intermináveis horas de convívio, do exercício constante de disciplina e da imaginação dos ensaios. Gera também a alegria do reconhecimento (individual e coletivo), de realização por mais um trabalho "concluído". Mas, mais que isso, gera igualmente uma contemplação de um horizonte que se avizinha, e que para se aproximar exigirá mais um monte de outros trabalhos e sonhos (literais e figurados). Ou o espetáculo que acabara de nascer, irá morrer. 

Já vi espetáculos de todo o Brasil, lindíssimos, não avançarem (lamentavelmente) por diversas razões e perecerem.

E por mais triste que isso possa soar, infelizmente é mais comum do que se imagina. Por N motivos. De questões pessoais, dificuldades de produção, problemas financeiros, de despreparo dos envolvidos à questões político-sociais, obras que deveriam seguir seus caminhos ficam no primeiro passo. 

A pós-produção, a circulação e tudo mais que envolve o ato de levar a obra que acaba de ganhar vida para outros pampas, outros pagos, dá trabalho. E é, ainda, subestimada, por muitos de nós artistas. 

Foto: Dartanhan Baldez Figueiredo / Divulgação

Não são apenas materiais para serem produzidos, são contatos para serem feitos, estratégias e planejamentos para serem minuciosamente traçados e executados. Exige entendimento do que se quer, de quais as possibilidades disponíveis e quais caminhos possíveis percorrer e/ou apostar. 

Às vezes, temos produtores competentes ao nosso lado, mas na maioria das vezes, não. E aprendemos nos anos de estrada, com erros e acertos (acreditem, muito mais com os erros).

Mas se não desistimos e crescemos, mesmo nesse universo de dificuldades, é porque pro artista independente não tem outro jeito, então fazemos do melhor jeito que dá. Podem ter certeza disso.

Queremos compartilhar nossos delírios para que saíamos do caos diário e que todos possam aumentar a sua potência de agir.

 São nossas pequenas crenças que nos mantêm com "a mente quieta, espinha ereta e o coração tranquilo". Assim como acreditamos que vamos dormir e acordar no outro dia (e não vamos partir dessa pra lugar nenhum, não é?). Sempre temos a convicção que vamos conseguir executar o melhor trabalho de produção possível, nosso espetáculo vai circular e vamos encontrar pessoas sensacionais por onde passarmos.

 

Foto: Dartanhan Baldez Figueiredo / Divulgação

Acho que vocês já entenderam que é preciso compreender e valorizar esta etapa do processo tanto quanto as outras, por mais estranho (e às vezes sem charme) que ela possa parecer.

Essa outra fase é tão importante ou fundamental quanto a etapa do processo criativo. E inclusive, aqui há que ser criativo para ela funcionar.

Na pós-produçãé hora de criar, recriar, co-criar. De questionar a lógica. De propor novos meios e modos de funcionamento e tudo mais. 

Então, da próxima vez que você ouvir/ver/ler/falar/ficar sabendo de um espetáculo, show, exposição, ou qualquer outro modo de expressão artística, saiba que você está sendo convidado (por uma galera que ama o que faz e se dedica muito) para um encontro muito especial.

Eu encaro esses convites como possibilidades de encontros com portais para novos universos que podem mudar vidas. 

Sei que soa piegas, mas deveras acredito nisso. Pois, a produção para a circulação de um trabalho artístico é um afazer realizado com amor e energia, uma ação para que vidas/ideias/conceitos sejam colocadas em cena para que outras vidas, juntas, ganhem espaços de diálogos em uma correria diária, que tanta vezes nos encolhe. 

Que os convites venham, que possamos ir, que nossas lógicas se entrecruzem e se expandam. 

Pra transformar um tanto desse caos aqui (Brasil e mundo) com Arte. 

Até próximo encontro.

Foto: Dartanhan Baldez Figueiredo / Divulgação
 

Siga Diário SM no Twitter

  • diariosm

    diariosm

    DiárioSMVÍDEO: Conheça Feijão e Amendoim, os famosos cães comunitários do Parque Itaimbé https://t.co/qOnoVahc6s #meupetépop https://t.co/jCPttn6kzFhá 12 horas Retweet
  • diariosm

    diariosm

    DiárioSMRT @pedrohpavan: Anderson Daronco é escalado para penúltima rodada das Eliminatórias da Copa: https://t.co/D2cKKOzHFg @diariosm https://t.c…há 1 diaRetweet

Veja também

Diário de Santa Maria
Busca
clicRBS
Nova busca - outros