Com agulha e linha se costura o empoderamento - Cultura e Lazer - Diário

Versão mobile

Coluna Moda12/08/2017 | 14h50Atualizada em 12/08/2017 | 16h56

Com agulha e linha se costura o empoderamento

Colunista conta a história de aluna da Unifra que criou uma nova tabela de medidas para a moda plus size e uma coleção inspirada na Serra Gaúcha

De ponto em ponto, a formanda em Tecnologia em Design de Moda do Centro Universitário Franciscano (Unifra), Nathália Charão, costura uma moda mais democrática.

Aos 19 anos, ela desenvolveu uma coleção de moda plus size, intitulada Despertar das Coxilhas, que rompe com estereótipos, preconceitos e apresenta uma proposta que busca atender as necessidades das mulheres plus dos 20 aos 45 anos.

Foto: Letícia Sarturi / Arquivo Pessoal

O impulso para pesquisar o segmento partiu do conhecimento sobre a insatisfação existente entre consumidoras desse nicho e de suas necessidades. 

_ Tem muitas reclamações. Ainda não são atingidas as dificuldades como encontrar roupas que sirvam e que se sintam bem _ conta a estudante sobre a coleção que foi o trabalho final de graduação.

Para sanar problemas encontrados na moda para pessoas curvilíneas e criar uma coleção capaz de unir tendências e valorizar o corpo volumoso, Nathália se dedicou a analisar o mercado plus size e seus anseios. A jovem levou 12 meses entre a pesquisa e as demais etapas de criação.


NOVA TABELA DE MEDIDAS
Neste período, foi necessária a elaboração de uma tabela de medidas capaz de atender as dimensões reais de cada mulher plus size. A futura designer de moda analisou três marcas brasileiras que possuem tamanhos apresentados como plus. E o resultado foi uma grade com numerações do 46 ao 60 que abrange a realidade das medidas de diferentes corpos gordos.

Foto: Letícia Sarturi / Arquivo Pessoal

A acadêmica também tinha preocupações e desafios, como, por exemplo, adequar recortes e estampas, além de criar peças que não aumentassem ou marcassem alguma parte do corpo.

_ A plus size quer estar dentro da tendência, mas valorizando o seu corpo _ comenta a jovem, que priorizou a modelagem e aspectos ergonômicos e estéticos na coleção.

A COLEÇÃO
Nathália montou um trabalho com 10 looks para o outono 2018, pensados detalhe por detalhe. As peças destacam a cintura, são sem recortes nas costas para não deixar a lingerie em destaque e as alças são largas para esconder o soutien. O decote também está em evidência em algumas peças criadas para a coleção que valoriza o regional.

Foto: Letícia Sarturi / Arquivo Pessoal

A Despertar das Coxilhas é inspirada na Serra Gaúcha, representada nas cores e estampas que têm como fonte de inspiração alguns elementos encontrados na Rota Romântica. 

_ Os verdes são da serra, os azuis referentes às hortênsias e os mais avermelhados são do plátano _ explica Nathália.  

A flor e as folhas típicas da região aparecem em minúcia na coleção e foram pintadas nos tecidos com técnica de aquarela.

_ Assim como (...) durante o outono as folhas se desprendem das árvores para que novas vidas possam surgir, a coleção pretende despertar sentimentos de estima das mulheres plus size, ao afirmar suas identidades através do modo de se vestir _ deseja a criadora do trabalho que utiliza a moda como forma de empoderamento.

MERCADO EM TRANSFORMAÇÃO
De acordo com a professora que orientou o trabalho da acadêmica, Simone da Rosa, o mercado para o público plus size sempre existiu. Atualmente, os fabricantes se preocupam mais com o setor numa época de mudança de mentalidade onde as pessoas "livram-se de pré-conceitos e aceitam a diversidade".

Além do fomento, a transformação no meio, o segmento é um mercado em crescimento. Segundo informações do Sebrae, o nicho cresce 6% ao ano e fatura R$ 5 bilhões, sendo 5% do faturamento do setor de vestuário no país.

Esse cenário tem potencial para crescer ainda mais devido a alta demanda. A educadora comenta que a maioria dos consumidores não veste numerações pequenas.

_ Deste modo, criar moda plus size é criar para pessoas reais e não idealizadas _ afirma a orientadora.

 NA PASSARELA
Quem tiver interesse em conhecer a Despertar das Coxilhas de perto pode conferir parte da coleção na próxima sexta-feira, dia 18, às 20h, no LAB 512/2, um desfile organizado pela terceira turma de Tecnologia em Design de Moda.

Ele ocorre no hall do prédio 15 do Conjunto III da Unifra, localizado na Rua Silva Jardim, 1175, e também conta com a apresentação de peças criadas pelas demais formandas.

A homenageada do LAB 512/2 é Wannita Miorin. Os ingressos para o desfile estão à venda com as formandas e custam R$ 10.

Confira abaixo as coleções que desfilarão:

_ Amanda Bairros: Artmetria
_ Ana Paula Bolzan Juliani: Cultura e Arquitetura Inca
_ Bárbara Ruviaro: Lightning Starman
_ Carina Machado da Silva: Movimento 
_ Carla Goldschmidt: Fluo
_ Caroline Colpo: Matamorfose 
_ Caroline Farias: Tropical Mente 
_ Fabiane Culau: Armor
_ Isadora Morgental: Classic Nud
_ Letícia Gais Gularte: Células de Matisse
_ Lillian Rocha: Egypt Minimal Cotton 
_ Marina Frizzo Tuzi: Irreverência das Cores
_ Natália Nogueira: Olhares
_ Nathália Charão: Despertar das Coxilhas
_ Paula Toaldo: Sound à Porter 
_ Roberta Gomes: Simple Baroque

 


 

Siga Diário SM no Twitter

  • diariosm

    diariosm

    DiárioSMPrefeitura continua limpeza em Santa Maria neste sábado https://t.co/XIu3WfAJZ7 https://t.co/LIcdfBKvcZhá 16 horas Retweet
  • diariosm

    diariosm

    DiárioSMVÍDEO: motorista filma destruição ao longo da BR-287 https://t.co/qtykUbSLh9 https://t.co/UX5vvRv7mqhá 16 horas Retweet

Veja também

Diário de Santa Maria
Busca
clicRBS
Nova busca - outros