Educação para participação cidadã: a internet também é espaço para motivar e transformar - Cultura e Lazer - Diário

Versão mobile

Coluna Tecnologia09/05/2017 | 14h35Atualizada em 09/05/2017 | 15h15

Educação para participação cidadã: a internet também é espaço para motivar e transformar

Colunista fala sobre o uso dos meios tecnológicos para incentivar a participação de cidadãos na sociedade 

Quando se escreve coisas pelas quais se é apaixonado, tudo fica mais fácil. As palavras simplesmente aparecem e não é necessário pensar, cautelosamente, quanto a melhor forma da escrita. E assim foi desde o meu primeiro artigo aqui. 

Na primeira coluna falei um pouco sobre o consumo de conteúdo na internet pelos nossos pequenos, tentando trazer um pouco sobre a responsabilidade dos pais em acompanhar o que seus filhos leem e escutam na internet. Já na segunda coluna, trouxe um alerta sobre o uso da mesma como forma de fortalecer o nosso conhecimento, não a tratando meramente como um repositório de informação, sob a pena de um dia estarmos vivendo em uma "idiocracia". 

Na terceira,falei de uma outra grande paixão, sobre a plataforma TED e como ela pode impactar positivamente o nosso cotidiano, com conteúdo de relevância, qualidade e, sobretudo, motivacional. Já na coluna mais recente, comentei um pouco sobre o meu hobby em torno da pesquisa genealógica da minha família e como a tecnologia me possibilitou contato e troca de experiência/conteúdo com pessoas de todo o mundo. Tudo isso acreditando incentivar os leitores a enxergar e não simplesmente ver seus filhos; a ter onde e em quem buscar inspiração e; a compreender a importância da memória, seja organizacional, sentimental ou familiar.

Hoje, novamente, paixão move o que trago: "educação para a participação cidadã". Defendo que só com a educação e o efetivo exercício da nossa cidadania é que será possível uma verdadeira transformação social. E ai não entro na questão político-partidária, pois como o colega de coluna Iuri Lammel relatou em sua última coluna, não podemos pertencer a uma "bolha social", onde estamos abertos apenas a opinião que convergem com as próprias. O que defendo, e o político que fizer isso terá o meu eterno voto, é a defesa da educação que liberta o pensamento crítico e a postura ativista, tornando nossas ações muito mais efetivas.

Como sei que não conseguirei mudar a educação do nosso país, faço, profissionalmente, o uso da internet e dos meios tecnológicos que ela nos possibilita, para levar o conhecimento, ainda muito embora longe do necessário para uma transformação social, em prol do empoderamento cidadão.

Neste sentido, a lei federal nº 12.527 de 2011, possibilitou um grande salto ao empoderamento cidadão, com a regulamentação do acesso às informações públicas, antes de forma restrita ou de difícil acesso. Esta lei obrigou os poderes Executivo, Legislativo e Judiciário da união, estados e municípios, a dar transparência às suas ações, com a prestação de conta pública de seus atos, principalmente no que tange aos gastos públicos.

Sabemos, e não precisamos de muito conhecimento e informação para perceber, que esta lei não resolveu o problema da corrupção e desvio de dinheiro público, câncer este que toma conta de nosso país. No entanto, oportuniza a população o controle social sobre os atos públicos. O que carecemos é apostar na formação, na conscientização em prol da utilização desses e outros recursos.

Em Santa Maria, a prefeitura municipal disponibiliza em seu website o SIC (Serviço de Informação ao Cidadão).

Foto: Reprodução

Este espaço fornece informações sobre convênios, licitações e contratos, ações sobre programas municipais e relação das despesas do município, como a informação de quanto cada servidor público recebe de remuneração/salário e os gastos/investimentos que são realizados.

Esta informação é de extrema importância, pois é o seu, o meu, o nosso dinheiro que esta subsidiando tudo isso, e nada mais justo que você, cidadão, não apenas tenha acesso, mas, principalmente, conhecimento destas informações para que, caso acredite que não esteja sendo bem aplicado, reivindique seus diretos.

No governo do estado do RS, o portal de transparência esta disponível, assim como o governo federal. 

Iniciativas não governamentais, sem fins lucrativos, como o "Observatório Social", também ajudam neste processo de controle social, reunindo voluntários para, periodicamente, analisar as contas públicas e processos licitatórios. Santa Maria também conta com esta iniciativa e os interessados em participarem como voluntários podem encontrar mais informações no site local.

Uma outra iniciativa, realizada pelo Programa Municipal de Educação Fiscal (PMEF) em parceria com a Escola de Administração Fazendária (Esaf), é a oferta do curso online de "Disseminadores de Educação Fiscal", uma excelente formação que melhor qualifica o cidadão quanto ao acesso às informações públicas, com o estímulo à fiscalização das contas públicas. 

Site http://www.esaf.fazenda.gov.br para obter mais informações sobre o curso. Foto: Reprodução

Nesta mesma linha, a "Escola Nacional de Administração Pública" oferta regularmente o curso de "Controle Social", com formação que habilita o cidadão ao monitoramento e avaliação de ações governamentais.

Estas iniciativas, bem como o estudo da nossa Constituição Federal, principalmente quanto aos nossos direitos, deveres e obrigações, deveriam fazer parte do cotidiano do ensino (fundamental e médio) do nosso país. Só assim estaremos habilitando aos nossos jovens ferramentas para o profícuo debate político, como forma de transformação sociocultural do nosso país.

A sociedade também está mobilizada, e cada vez mais plataformas tecnológicas, desenvolvidas pela iniciativa privada, são disponibilizadas à população como forma de oportunizar um melhor diálogo com o poder público ou, simplesmente, a publicidade de problemas sociais que impactam cada cidadão. 

Um exemplo, aqui mesmo em Santa Maria, é o "Nossa Santa Maria", projeto desenvolvido por empresa privada que foi abraçado pela FADISMA através de um Programa de Ensino, Pesquisa e Extensão, oportunizando aos discentes da IES, Curso de Extensão Universitária em (Web)Cidadania com viés prático, no reconhecimento, debate e solução ativista de problemas sociais. À toda comunidade, o projeto oportuniza o ¿georrefereciamento¿ de desafios a serem superados pelo município, como forma de sensibilizar o poder público com o comprometimento na solução dos problemas que atingem os nossos munícipes.

A metodologia de trabalho do "Nossa Santa Maria" foi pesquisada e deu origem a minha dissertação no âmbito do "Programa de Mestrado em Tecnologias Educacionais em Rede" das UFSM e, com a sua conclusão, ficou clara a viabilidade de expansão do projeto.

Sou muito grato de ter participado do projeto Nossa Santa Maria desde o seu início e, sobretudo, de ter compartilhado a motivação com meus amigos Ricardo Pippi Reis, Gilson Piovezan e Iuri Lammel, juntamente com minha esposa/amiga/colega Liana Merladete. Mais ainda em ver que o projeto evoluiu, tomou forma, adquiriu parceiros, consolidando sua metodologia de trabalho em pesquisa pública. 

O "Nossa Santa Maria" deixa de existir neste mês, mas no lugar dele um audacioso projeto nasce, com grandes e já consolidados parceiros, que, tenho certeza, que impactarão diretamente na "Educação para a Participação Cidadã" do nosso município. 

Um sonho que transformou-se em paixão e, dela, uma realidade. Em breve volto a falar do assunto e como você também poderá participar! 

Até a próxima!

 
 

Siga Diário SM no Twitter

  • diariosm

    diariosm

    DiárioSMRT @pedrohpavan: Soldiers espera mais de duas mil pessoas na decisão de sábado em Santa Maria: https://t.co/krwQXcA7Sd @diariosm @Naion_Cur…há 13 horas Retweet
  • diariosm

    diariosm

    DiárioSMPostos de saúde de São G https://t.co/YXmMmEqIt5 abriel passarão a atender até as 22h https://t.co/EUoDQ4QPpthá 16 horas Retweet

Veja também

Diário de Santa Maria
Busca
clicRBS
Nova busca - outros