Quem são as novas vozes do sertanejo de Santa Maria - Cultura e Lazer - Diário

Versão mobile

Música17/02/2017 | 14h01Atualizada em 17/02/2017 | 14h01

Quem são as novas vozes do sertanejo de Santa Maria

Já os conhece? Ainda não? Confere então a agenda de show dos artistas

Quem são as novas vozes do sertanejo de Santa Maria Divulgação / Divulgação/Divulgação
Da esq. para dir: Viviane e Adriane, Yasmine Mendes, Andrei Magnanti e Edu e Andressa Foto: Divulgação / Divulgação / Divulgação

O cordão dos sertanejos cada vez aumenta mais no Brasil. E em Santa Maria, não é diferente. As novas caras e vozes do gênero estão aí, cantando suas ¿modas¿ nos palcos da cidade e da região.

Entre os novos artistas que estão batalhando por espaço estão as duplas Edu e Andressa, Viviane e Adriane, a cantora Yasmine Mendes e o cantor Andrei Magnanti.

Edu e Andressa se conheceram no CTG Sentinela da Querência, e logo se tornaram amigos e parceiros musicais. Estudante de Relações Públicas nascida e criada em Santa Maria, Andressa Menezes, 27 anos, está realizada com o trabalho musical.

Já Edu é o nome artístico do santiaguense Leonardo Martins, 25. Depois de participar de vários projetos musicais, ele veio morar no Coração do Rio Grande, em busca da consolidação da carreira artística. 

Junto com Andressa, ele tem feito shows por Santa Maria e região. No repertório, não faltam sucessos de Marília Mendonça, Henrique e Juliano e Wesley Safadão. Além disso, eles têm composições autorais e devem lançar um novo EP este ano.

– Ter uma mulher nos vocais me desafia como compositor. Escrevo tentando entender esse outro lado e para atingir esse público com nossas músicas – conta Edu.

Teatro Por Que Não? abre inscrições para curso de teatro

O estudante de Publicidade e Propaganda Andrei Magnanti, 23 anos, nasceu em Panambi e veio estudar em Santa Maria em 2013. Aqui, encontrou um mercado musical propício para lançar sua carreira como cantor. Ele ouvia sertanejo de raiz e aprendeu a tocar violão e gaita com a avó, ainda na infância. Mas foi com o lançamento do sertanejo universitário que ele decidiu dar a largada na música.

– O sucesso de Luan Santana foi o que me fez pensar: é isso que quero para a minha vida – conta Andrei.

Projeto AconteSer leva arte para crianças da periferia de Santa Maria 

A partir daí, ele descobriu outros cantores como Lucas Lucco e Bruninho e Davi. Andrei também se inspira em astros de outros estilos como Michael Jackson e Justin Bieber. Cheio de planos, este ano ele deve visitar rádios e a imprensa local para divulgar sua primeira música autoral Para de Brincadeira. 
Ligado nas tendências musicais, o cantor quer inovar.

– Vou inserir novas batidas ao show. A ideia é misturar funk e eletro com o sertanejo e contar com a presença de DJ e dançarinos no palco – adianta.

O feminejo veio para ficar!

Além do sertanejo universitário, outro fenômeno tem impulsionado o surgimento de mais artistas do gênero: o ¿feminejo¿. Representado por nomes como Maiara & Maraisa, Marília Mendonça e Simone & Simaria, a tendência se caracteriza por um certo empoderamento feminino – distante da mulher ¿bela, recatada e do lar¿ idealizada nas canções do sertanejo de raiz.

– Acho maravilhoso o sucesso dessas mulheres reais, que bebem e gostam de festas igual a gente. São pessoas comuns, que cantam o que sentem – explica Andressa Menezes, 27 anos, da dupla com Edu.

De empresário a gourmet: a nova fase de Vadson Schefer

Nascida no Paraná, Yasmine Mendes, 25 anos, chegou ao Coração do Rio Grande ainda criança, aos sete anos. Apesar de ter referências musicais da música pop internacional, como Whitney Huston, Beyoncé e Michael Jackson, o gosto herdado pelo pai falou mais alto e deu rumo a sua carreira.

 Ela cresceu escutando sertanejo de raiz e conhece o repertório de Tonico e Tinoco, Zé Rico e Milionário e Sérgio Reis. Após o sucesso feminino no gênero, que segundo Yasmine veio para ficar, ela se sentiu segura para se lançar em carreira solo no sertanejo.

– Estou muito feliz com o feminejo. Mesmo estando sempre presentes, hoje, as mulheres estão conquistando mais espaço. É legal cantar essas canções que retratam nosso cotidiano, dramas amorosos, traições e também festas. Afinal, a mulher tem que ser vista de uma forma real, sem preconceitos. E nada melhor do que a música para mostrar tantas qualidades juntas – acredita a artista.

Desapegar é tendência! Saiba como vender e comprar em Santa Maria 


As gêmeas Viviane e Adriane Spitzmacher Cordeiro têm 21 anos. Elas moram em Jaguari, mas são agenciadas pela Maestro1, produtora artística de Santa Maria. Desde crianças, por influência dos pais, elas escutavam sertanejo de raiz. Aos 12, começaram a tocar violão e aprenderam algumas modas de viola. O repertório atual da dupla inclui clássicos como Telefone Mudo, do Trio Parada Dura, até atuais de Luan Santana e das musas Maiara & Maraísa.

– O ¿feminejo¿ dá voz às mulheres e nos ajuda a quebrar os padrões – acreditam as cantoras.

Próximos shows 

Edu e Andressa
Dia 21 de fevereiro, no The Parkz
Dia 27 de fevereiro, no Carnaval Campeão, do Avenida Tênis Clube

Viviane e Adriane
Dia 11 de março, no Freguesia bar 

Andrei Magnanti
Dia 25 de fevereiro, no Carnaval Campeão, do Avenida Tênis Clube
Dia 12 de março, no Centro de Eventos da UFSM

Yasmine Mendes
Dia 10 de março, no LaPinapi, em Cruz Alta

 
 

Siga Diário SM no Twitter

  • diariosm

    diariosm

    DiárioSMO calendário de concursos e as turmas preparatórias abertas https://t.co/P6rBCeBy5B https://t.co/FIJ1eqIPAHhá 1 diaRetweet
  • diariosm

    diariosm

    DiárioSMSeca e ventos aumentam o risco de incêndios às margens de rodovias https://t.co/ed647rnQ2x https://t.co/DMkYZeFFyhhá 1 diaRetweet

Veja também

Diário de Santa Maria
Busca
clicRBS
Nova busca - outros