Festival reúne nomes da cena eletrônica mundial em Santa Maria - Cultura e Lazer - Diário

Versão mobile

Evento30/11/2016 | 20h57Atualizada em 30/11/2016 | 20h57

Festival reúne nomes da cena eletrônica mundial em Santa Maria

Festa ocorre no sábado, no Hotel Fazenda Pampas

Festival reúne nomes da cena eletrônica mundial em Santa Maria Pablo Zambeli/Divulgação
Foto: Pablo Zambeli / Divulgação

Quando chegou a Santa Maria, há quatro anos, a Sunset Sessions carregava um conceito inovador para a região. Com a proposta de um evento diurno e itinerante, a festa sempre priorizou locais integrados à natureza, onde as pessoas, o ambiente e a música entrassem em comunhão criando uma atmosfera única. Essa concepção será levada ao extremo, mais uma vez, no sábado, quando será realizada a segunda edição do Som & Sol Festival by Sunset Sessions. Novamente, a iniciativa irá explorar o ambiente do Hotel Fazenda Pampas. Nas pick-ups, a promessa é de 15 horas de música comandadas por grandes expoentes da cena eletrônica local, nacional e internacional. As performances que prometem levar o público ao delírio serão divididas em dois stages com programação paralela.

Cantora Nandara Antunes lança primeiro single do projeto Breve

A pista principal, batizada de Sunset Sessions Stage, traz a energia e a potência sonora consolidada ao longos dos quatro anos da marca. Já o Safari Stage, montado em meio às arvores que circundam o local, representa a variedade de ambientes, sonoridades e identidades que o projeto sempre pregou. A principal atração desta edição do Som & Sol são as canadenses Anstascia D'Elene e Vivie-ann Bako, dupla por trás do Blond:ish. Com a experiência de quem tocou nas duas últimas edições do Burning Man _ considerado o maior festival de contracultura do mundo, que reúne 70 mil pessoas por 10 dias em uma cidade criada em meio ao deserto de Nevada, nos Estados Unidos _, elas chegam para apresentar seu deep house com pegada techno. 

Confira a programação cultural de quinta-feira em Santa Maria

Quem também vem de longe é o prodígio britânico Third Son. Nascido em Londres, berço da música eletrônica mundial, o DJ de 25 anos já fez parte do casting de labes consagradas como Noir Music e Stil Vor Talent Records. Será a primeira vez dele em solo brasileiro. Completam o time de gringos os californianos Marbs e Mikey Lion, da crew Desert Hearts, que promove algumas festas mais irreverentes e espirituais da costa oeste norte-americana.

Mas o talento nacional estará muito bem representado no festival. Com 20 anos de carreira, o pioneiro e lendário Renato Ratier foi escalado para encerrar a programação do palco principal. Nos anos 2000, a cena underground ainda tomava forma no Brasil mas o DJ apostou todas as fichas no D-EDGE. Não demorou para que o club se tornasse uma referência ao redor do globo. Após participar de diversos EPs e coletâneas, em 2013, lançou seu primeiro álbum, Black Belt. Hoje, é um dos mais requisitados DJs brasileiros no exterior, além de se dividir como sócio proprietário e DJ residente do beach club Warung, em Santa Catarina, e do Holzmarkt, espaço cultural localizado em Berlim. 

Duas estreias nas salas de cinema de Santa Maria esta semana

Com 15 dos seus 29 anos dedicados à música, Pedro Zopelar, ou somente Zopelar, como é conhecido, tem formação erudita em piano e teoria musical. E esse vasto conhecimento musical teve seus horizontes ampliados em 2014, quando passou a ser um dos três representantes do Brasil a integrar o seleto time de alunos do Red Bull Music Academy, em Tóquio. O paulista Spavieri, o prodígio Henke e os jovens talentos cariocas Kim b2b Maz também têm presenças confirmadas no Som e Sol. 

Talento local

Claro, o talento local também estará muito bem representado no festival. Começando pelo time de residentes da Sunset Sessions formado por Mezomo, Bergesch, Trommer e Papandreu. Mas não para por aí. Além dos santa-marienses Jellyfish e Naiz b2b Vasconcellos, também estão confirmadas duplas de Porto Alegre, Santa Cruz do Sul e Passo Fundo como o GB y Dona Ana, Fernando Butzge e Morais e Lolo Bortholacci e Willian Celuppi. 

Campanha busca R$ 65 mil para reforma da sede do Museu Treze de Maio 

– Organizar um festival desse porte, com mais de 20 artistas de várias partes do mundo, exige muito trabalho e muita responsabilidade da nossa equipe. Ao mesmo tempo, o sentimento de felicidade e ansiedade tomam conta. Nosso objetivo sempre foi trazer o melhor do cenário da música eletrônica nacional e mundial para nossa querida Santa Maria e estamos bastante satisfeitos com o resultado – revela Matheus Brum, que, ao lado do sócio Bruno Mezomo, consolidou a marca Sunset Sessions.

O clima ficará completo com as projeções visuais do VJ Mono, de Santa Cruz do Sul. Com tantas horas de música, natural que, em algum momento, a fome aperte. Mas a estrutura do festival contará também com um super food truck para o público repor as energias, além de uma área de descanso.  

 
 

Siga Diário SM no Twitter

  • diariosm

    diariosm

    DiárioSMSuspeito de integrar movimento neonazista é preso em Cruz Alta https://t.co/HlPiwvvtk9 https://t.co/EtWLEXWtgEhá 13 horas Retweet
  • diariosm

    diariosm

    DiárioSMEstudantes começam a desocupar prédios da UFSM https://t.co/fHTMnU4nv0 https://t.co/uC8MlLQBGhhá 13 horas Retweet

Veja também

Diário de Santa Maria
Busca
clicRBS
Nova busca - outros