Mulheres no Sertanejo: Santa Maria já tem suas representantes - Cultura e Lazer - Diário

Versão mobile

Música08/08/2016 | 06h10Atualizada em 08/08/2016 | 06h10

Mulheres no Sertanejo: Santa Maria já tem suas representantes

Cantoras estão dominando o estilo, as paradas musicais e emplacando vários hits em todo o Brasil

Mulheres no Sertanejo: Santa Maria já tem suas representantes Jean Pimentel/
Raquel Tombesi (esq) e Anelise Varela (dir) cantam sertanejo em Santa Maria Foto: Jean Pimentel

A música sertaneja sempre teve suas representantes femininas. Nas últimas décadas, artistas como as Irmãs Galvão e Inezita Barroso (anos 1980), Sula Miranda, Roberta Miranda (anos 1990) e, mais recentemente, Paula Fernandes, entoaram modas sertanejas e românticas com suas vozes marcantes. Mas, hoje, o sertanejo vive uma nova fase. As mulheres, em carreira solo ou em duplas, estão tomando conta das paradas de sucesso nas rádios e na internet.

Prova disso é o ranking das músicas mais tocadas da semana passada, em todo o Brasil, divulgado pelo portal da Revista Billboard, que aponta o sucesso Medo Bobo, de Maiara e Maraísa como a canção mais executada do país, à frente da nova canção de Luan Santana, Eu, Você e o Mar, que aparece em segundo lugar. Outras cantoras como Marília Mendonça (das músicas Infiel e Como Faz Com Ela), Simone e Silmária (Quando o Mel é Bom e Meu Violão e o Nosso Cachorro), Naiara Azevedo (Coitado e R$ 50) se juntam ao time feminino que está dominando as paradas de sucesso do Brasil.

Vai ter Wander Wildner, Boogarins, hermanos e muito groove no morro

Em Santa Maria, o sertanejo já tem suas representantes e, desde o último ano, pouco antes de o fenômeno das mulheres nesse estilo estourar, Raquel Tombesi, 24 anos e Anelise Varela, 19, começaram a cantar sertanejo por aqui.As duas, que administram suas carreiras solo e, sempre que podem, sobem juntas aos palcos, escutam sertanejo desde gurias, por influência de seus pais, que são fãs do gênero. Suas referências são os clássicos como Chitãozinho e Xororó, Leandro e Leonardo e Zezé di Camargo e Luciano.

Elas se conheceram há cerca de um ano, em função da música. Ambas postavam vídeos, cantando covers, em suas redes sociais. A partir de então, Raquel montou sua banda, com foco no sertanejo, mas, sem fechar as portas para os outros estilos. Sem preconceito musical, ela canta MPB, Pop Rock, Funk e o que mais for música. Anelise encara a carreira da mesma forma, sem restrições, mas também com foco no sertanejo.

Talentosas e unidas

Raquel e Anelise se sentem com sorte, amparadas e catapultadas com o fenômeno das mulheres no sertanejo. O sucesso das ¿coleguinhas¿, termo usado pelas cantoras Simone e Silmária, tem garantido espaço para ambas se apresentarem. Mas, até pouco tempo, o mercado local não era tão receptivo. Para Raquel a sorte brilhou quando uma produtora de eventos de Porto Alegre descobriu a artista e fechou dezenas de shows pelo Estado. Assim, Raquel se apresentou com sua banda por cidades como Ijuí, Santiago, Parobé e Uruguaiana e, nesta semana, canta em Alegrete. 

Xuxa retoma "pacto com o demônio" em propaganda da série "Stranger things", da Netflix

E as portas do sertanejo de Santa maria também estão abertas para as mulheres. Atualmente, Raquel tem um projeto chamado ¿Noite das Coleguinhas¿, todas às terças-feiras, no Friends Music Bar (Rua Dr. Bozano, 527), sempre às 22h. E, toda vez que pode, convida a amiga Anelise para dividir o palco. As gurias estão com um projeto para, no futuro, fazerem um especial acústico cantando Maiara e Maraísa.


Foto: Jean Pimentel

Porta-vozes da mulherada

De acordo com Raquel, muito do sucesso das mulheres no sertanejo se deve ao fato de as cantoras entoarem suas vivências reais nas canções. São letras que falam de situações cotidianas, pelas quais todas as mulheres passam. Amores, desamores e superação estão entre os temas. 

As canções favoritas de Raquel são as que as mulheres estão no controle da situação, firmes e fortes. Segundo ela, por muito tempo o sertanejo foi dominado pelos homens e suas histórias. Agora, chegou a vez de a ala feminina ir ao show e cantar suas vivências.

– A gente sente nos shows o retorno no público, das mulheres enlouquecidas cantando, o carinho depois do show. Nossa! É um reconhecimento que não tem preço – finaliza Raquel.

Sertanejas em Santa Maria

A dupla Paula & Pâmela, formada pelas irmãs paranaenses, fazem show nesta sexta-feira em Santa Maria, no Aruna Club. As moças vêm ganhando espaço no cenário nacional e já participaram do Programa Altas Horas, do Serginho Groisman, cantando ao lado de Zezé di Camargo e Luciano e Gusttavo Lima.

 A dupla, responsável pelo sucesso Dança Gatinho, gravou recentemente um videoclipe da música Não Tem Cura, com participação de Bruno e Marrone. 

Elas prometem agitar Santa Maria e cantar grandes sucessos do gênero na ocasião. Os ingressos antecipados custam R$ 25 e estão à venda nas lojas Sarah Concept na Galeria Chami (Calçadão) e no Royal Plaza Shopping (térreo) e no site minhaentrada.com.br. Informações e reserva pelos telefones (55) 3025-2929 (55) 9955-6807 (WhatsApp).

 

Comentar esta matéria Comentários (0)

Esta matéria ainda não possui comentários

Siga Diário SM no Twitter

  • diariosm

    diariosm

    DiárioSMCorintians recebe o Guarani-VA pela 3ª rodada do Estadual de Basquete https://t.co/oAQrQsChzk https://t.co/fxsAbDnY5yhá 8 horas Retweet
  • diariosm

    diariosm

    DiárioSMPrêmio Empreendedor é uma oportunidade das instituições mostrarem suas pesquisas https://t.co/xYX6QSQkWN https://t.co/kPZuZuNRm9há 8 horas Retweet

Veja também

Diário de Santa Maria
Busca
clicRBS
Nova busca - outros